ATENDIMENTO À MODA ANTIGA

 

 

Palavra do dia:

Restaurante: MaT am

********************************************************************************************************************* 

Um assunto muito engraçado (para quem lê) é o atendimento egípcio. Me refiro à lojas, restaurantes, hotéis, etc. Já havia dito anteriormente que tudo por aqui é muito lento e que o tempo deles é diferente do nosso, mas agora vou me aprofundar um pouquinho mais.

Sabe quando você entra numa loja no Brasil e aquela vendedora exageradamente simpática vem te atender? Pois é, aqui não é bem assim… Na maioria das vezes você nem sequer é atendido. Aí, alguns vão dizer: “Mas eu detesto gente no meu pé dentro das lojas.” Sim, sim, agora gente nenhuma também não dá, né? Você precisa ir até o vendedor para perguntar o preço de alguma coisa, porque definitivamente ele não virá até você. Para buscar uma numeração diferente no depósito então? A boa vontade certamente não é uma qualidade dos atendentes… Mostrar as novidades recém chegadas, nem pensar. Te vira meu bem!!! Vai à luta!!! Sem contar que se está na “hora da reza” a chance de você ser escorraçado da loja é bem grande.

Muitas vezes você se depara com pessoas mal-educadas também. Vou contar um caso que ocorreu com uma amiga minha aqui no Cairo.

Loja Egípcia

A minha amiga entrou na loja e começou a olhar as roupas expostas nos cabides. Como ela não sabia que as roupas dobradas também estavam penduradas, ela foi procurar mais opções nas prateleiras. Uma moça veio correndo e simplesmente BATEU NA MÃO DELA!!! Mas não foi um tapinha brincalhão, foi um tapa bem forte de repreensão. Ela ficou transtornada! Como era recém chegada ao Egito, voltou correndo para casa e contou ao marido em prantos. Ele ficou furioso, pegou ela e voltou na loja. – Agora você mexe em tudo que eu quero ver ela te bater! – A moça ficou paradinha. Sabe por quê? Porque com homem elas não se metem!!!

Na hora de pagar também é uma briga. No Brasil os cartões de crédito agora vêm com chip. Aqui a moda ainda não pegou então sempre dá problema. Quando você passa a tarja do cartão na maquina ele bloqueia a venda. Segurança dos bancos eu acho. Você precisa inserir o cartão no local que faz a leitura do chip. Mas vai explicar isso para o caixa!

– Moço, por favor, não passe a tarja do cartão. Apenas insira o chip no leitor ok?
– A sim, sem problemas!

Advinha????????

– Moçooooooooooo, eu te pedi!!!!! Agora já era!!!!!
– Mas madame, eu sempre faço isso! Não tem problema não!
– Não tem problema no cartão daqui!!! Agora não vai autorizar!!!
– Vai sim!
– Não vai não!

Adivinha????????

– Ops!!! Não autorizou madame!!!
– Eu te falei! (seu infeliz)

Aí ele fica te olhando com aquela cara de sem saldo e você fica mais irritado ainda. Pega outro cartão, cujo vencimento é para daqui a cinco dias e dá para o vendedor.

– Agora tenta esse, mas por favor…

Dia desses fui comprar um presente para o filho de uma moça aqui do hotel que fará aniversário. Entrei em uma loja de brinquedos e escolhi dois presentes, o do menino e um outro para a filhinha do nosso motorista.  Na hora de empacotar foi literalmente uma tortura. O vendedor me pediu para escolher o papel (todos de menina), eu escolhi e então fiquei aguardando enquanto ele fazia o embrulho. Ele colocou tanto durex no pacote que certamente a criança jamais conseguirá abrir! Fora o fato do papel ter ficado todo torto e amassado. Obviamente que o durex acabou e até o rapaz achar outro demorou uns dez minutos. Quando ele fez o segundo pacote, um bichinho de pelúcia, eu não me agüentei! Faz um saco meu filho!!!!! Faz um saco!!!! Nada, ele queria enrolar o boneco que nem tapete!

– Moço, posso te dar um conselho? Faz um saquinho!
– Ãh?
– Assim ó!

Veio outro rapaz tentar ajudar. Piorou!!! Eu então inventei que trabalhava com festas infantis e que ensinaria a ele um truque. Peguei o pacote da mão do vendedor e comecei a fazer eu mesma o presente. Ele continuou a colocar uma quantidade absurda de durex, mas a essa altura eu só queria sair dali! Fechei o pacote com fita mimosa e puxei com a tesoura para ficar enroladinha. Foi quando eu ouvi:

– A Sra. é muito profissional mesmo!!!
– Ahã…

Resumindo, fique mais de trinta minutos esperando dois pacotinhos básicos, sem exagero, juro!!!

Restaurante do Palmeira Resort

Nos restaurantes, com exceção dos internacionais, a história também se repete. Você pede a comida e acredite, ela nunca vem certa!! Não adianta!!! Se pedir sem pimentão, esqueça, ele vai estar ali. Se pedir arroz ao invés de batatas, adivinha? As bebidas por sua vez, costumam vir depois da comida. Se você pedir suco natural então… Agradeça se vier na hora do café! Se você pedir para trocar seu prato que veio errado pelo certo, a confusão será tamanha que certamente você se arrependerá! O Rodrigo criou uma teoria: PEÇA ERRADO!!! Se você pedir errado a chance de vir certo é maior… Agora vou começar a pedir minha comida com “pimentão extra”. Quem sabe funciona??

Quando se trata de hotéis a coisa consegue ficar um pouco pior… Os brasileiros já estão perdendo a paciência com nosso hotel. Primeiro porque a higiene é precária. Os quartos  são limpos  “mal e porcamente” e quase todos os dias falta alguma coisa (toalha, tapete, luz…). Você nunca consegue fazer com que seu pedido no quarto venha antes do que duas horas. Se pedir gelo, vem derretido! Na hora do almoço, como o restaurante  é aberto, as moscas sentam a mesa junto com você. Já mencione que o gato é sagrado por aqui? Pois é, eles também juntam-se literalmente à mesa. Os talheres na maioria das vezes estão sujos e os copos cheios de marcas de dedos. É bem legal!! Sem contar que paninho na mesa não é costumeiro!

Claro que quando você vai para hotéis no Cairo, onde a maioria dos hospedes são estrangeiros, (porque eu estou em um Resort egípcio) a coisa é um pouco melhor. Os quartos são limpos e arrumados, o serviço é mais ágil e as pessoas são mais educadas. Mas não se emocione muito! A comida ainda vai vir errada e a bebida quente!

Não posso generalizar e dizer que nada dá certo por aqui. Não seria verdade. A verdade é que eles fazem de tudo para te agradar, mas o jeito deles é diferente do nosso e os valores também. Eles são mais tranqüilos, relax e brincalhões. Nós que damos valor para limpeza e para o atendimento de primeira, custamos a nos adaptar. Eles dão valor… Bem eles dão valor, humm… Eu ainda não descobri!!! Brincadeirinha!!!! Hahahahaha

Beijos a todos!

Anúncios

VAMOS COMPRAR REFRI NO SUPER?

 

Palavra do dia:

Sinto Muito: aasif

********************************************************************************************************************* 

Tenho uma querida amiga que mora em Caxias que costumava brincar comigo, pois eu sempre dizia que gostava de ir “comprar refri no super”. Na verdade isto é uma expressão típica de Porto Alegre, pois na maioria dos lugares as pessoas falam mercado ou então supermercado e não usam a palavra refrigerante no diminutivo. Mas, ela tinha razão sobre uma coisa: adoro ir ao supermercado. Quando morava sozinha eu gastava preciosas horas no Zaffari fazendo compras para a semana. Desbravava cada prateleira e me deliciava olhando todos os produtos possíveis. Quando vim para o Egito este hábito deixou de ser tão agradável assim.

Eu explico…

Carrefour das Arábias

O supermercado mais famoso por aqui é o Carrefour. Sim, este mesmo que você conhece. Ele é exatamente igual ao do Brasil no que diz respeito ao tamanho, disposição de prateleiras variedade de produtos, com uma básica diferença: repleto de produtos árabes. Bem legal neh? E digo mais, estes produtos vem também escrito em árabe. Agora sim ficou super legal! Ok, não vou exagerar. Existem muitos produtos que estão em inglês e que também podem ser facilmente reconhecidos pelas embalagens. Exemplo? Vanish, Sucrilhos, Nissim Miojo, etc. O problema é que você nunca sabe se o gosto, fórmula ou cheiro vai ser o mesmo daquele que estamos acostumados no Brasil.

Produtinhos Árabes

 Algumas pessoas me disseram que você acaba se acostumando com as diferenças, que é preciso fazer várias tentativas para se adaptar aos produtos locais e blá, blá, blá. Até  acredito nisso, mas quanto tempo e dinheiro terei que gastar durante esta adaptação?? Outra coisa a ser considerada é quanta comida fora eu vou colocar até descobrir qual aquela que não tem PIMENTA??? Tudo o que é industrializado no Egito possui este ingredientezinho básico. Detalhe: EU DETESTO PIMENTA!!! Belo lugar eu fui escolher neh? Dia desses compramos aqueles macarrões instantâneos para comermos no hotel, já que quase nem enjoamos da comida aqui (ironia). Adivinha??? PURA PIMENTA!!!!  O hambúrguer, aquele da Turma da Mônica ou do Scubidoo, acredite é PURA PIMENTA!!!! Vem cá, isso não era para crianças??

A carne também é outro fator importante. Algum tempo atrás, um dos brasileiros foi ao Carrefour comprar carne para tentarmos fazer um churrasquinho no final de semana. Esse tipo de operação inclui várias etapas:

 Primeiro: você precisa achar uma carne mais ou menos parecida com um vazio ou uma maminha.

Segundo: achar um açougueiro que entenda mais ou menos a sua língua.

Terceiro: explicar a forma com que a carne deve ser cortada e preparada.

Carne das Arábias

 O que aconteceu é que depois de algumas horas que o brasileiro gastou tentando cumprir as etapas acima, o açougueiro some com a carne pronta para dentro do depósito e vocês não vão acreditar… (pausa para suspense!). Ele voltou com a carne toda MOÍDA. Hahahahahaha. Agora relaxa e faz um carreteiro!!! Claro que o amigo lá não pediu para moer a carne, ele ficou furioso, mas aí acabou rindo da situação por vários dias e isso virou “causo”. Eles não têm os mesmos costumes que nós no que diz respeito à maneira de prepara carne. Churrascos então não fazem nem idéia do que seja. Mas isso é natural, já que cada país tem sua culinária própria não é mesmo?

 

Outro probleminha que enfrento durante as comprinhas é o seguinte:

Supermercado Lotado

Como deve ser de seu conhecimento, o Egito é um país muito populoso. Somente no Cairo existem cerca de 8 milhões de habitantes e TODOS eles resolvem ir ao Carrefour ao mesmo tempo. Vocês não fazem idéia do que é aquilo lá! Sabe o BIG em véspera de feriado de Páscoa? É muito pior!!! É gente para todos os lados. Todo o tipo de classe social batidinha e misturadinha dentro do supermercado. Eles vão com a família toda, as mulheres com os doze filhos, todos querendo empurrar o carrinho, os pais com os avôs, os irmãos com os cunhados e por aí vai. É um empurra-empurra sem tamanho. Eles param com os carrinhos no meio dos corredores, conversam com os conhecidos, xingam as crianças e você lá, tentando fazer suas compras sem ser mal educado. IMPOSSÍVEL!!! Você esquece rapidamente as boas maneiras e entra no jogo. Começa automaticamente a não pedir licença e vai passando. Nessa altura já está gritando coisas nada educadas, em português óbvio, com todo mundo. A raiva vai te consumindo aos poucos e quando você percebe está correndo pelo supermercado para se livrar logo daquilo. Logo eu, que gostava tanto…

Tá certo que no Brasil isso também é bem comum. As mães que permitem que os filhos tenham aula de direção nos corredores, batendo nas pessoas sem educação alguma, deixando eles espernearem no chão quando não ganham o que pediram, etc… Mas a diferença é que quando você vê isso por aí, geralmente fica chocado e sai de perto. Por aqui isso parece ser normal. E você vê isso todo o tempo, em todos os lugares. Não quero dizer quem é o melhor ou pior, se brasileiros ou árabes,  porque mal-educado tem muito no Brasil, mas ao menos, eles ficam mais espalhados, não estão todos no mesmo lugar ao mesmo tempo neh? Uma simples questão demográfica.

Como tem muita gente mexendo nas coisas, os produtos ficam todos bagunçados. Agora pensa! Eu já não entendo bem o que é o que lá dentro, com tudo fora do lugar então? Às vezes preciso ir e vir diversas vezes para lá e para cá até achar (quando acho) aquilo que procuro. Se você pede ajuda então? Nem os funcionários sabem se achar naquela confusão. Dia desses procurava um adoçante. Nada, nada de encontrar. Pensei que não era muito usado por aqui, mas não desisti e pedi ao funcionário se ele sabia onde estava. Ele, após procurar por alguns minutos, percebeu que não haviam recolocado o produto nas prateleiras. Imagina se falta adoçante no Zaffari? A mulherada enlouquece. Então, muitas vezes os produtos não estão em falta, apenas estão paradinhos no estoque esperando por uma oportunidade. A margarina até hoje não achei!

Na hora de pagar no caixa também é extremamente agradável. A fila é gigantesca! Até aí tudo bem, nada de tão anormal assim, o problema seria se o caixa geralmente não fosse mais lento que uma tartaruga com preguiça, o que geralmente é. Isso definitivamente é o mais irritante. Ele passa vagarosamente os itens na leitora, olha para eles e talvez ainda pergunte se o produto é bom ao cliente. Quando é preciso digitar o código de barras então? Senhooorrrrr!!!! Enquanto isso você está lá, vendo aquela zona ao seu redor. Porque quando as crianças chegam ao caixa elas parecem saber que acabou as possibilidades de ganharem mais alguma coisa, aí elas ligam o automático, apertam o botãozinho das lágrimas e começa a gritaria: MAS EU QUEROOOOO!!!! (em árabe)

Você sai do supermercado com a sensação que levou uma surra. Talvez até crie um certo trauma irreparável de lugares cheios. Estou tentando descobrir um dia mais tranqüilo para que eu possa curtir mais uma vez aquele meu momento único, mas parece estar bem complicado. Até a segunda pela manhã, que no caso do Egito é o domingo, parece ser impossível andar pelos corredores.  Mas tudo bem, vou fazer aquele truque do respira fundo, conta até dez e vai!!!!

Beijinho!

I LOVE DUBAI

Palavra do dia:

Excelente: Mumtaaz

********************************************************************************************************************* 

Senhoras e senhores do meu Brasil “Baronil”, aqui estou eu mais uma vez, dando uma pausinha (espero que ainda faça muitas) no assunto Egito, para falar de outro lugar que acabo de conhecer: Dubai.

Meu maridinho queridinho precisou ir aos Emirados Árabes à negócios nesta semana que passou. Advinha se eu não fui junto???? Claroooooooooooo!!! Imagina se eu perderia uma oportunidade dessas? “Bem Capaz”!!! Claro que as minhas despesas foram todas pagas por nossa conta, mas uma das vantagens de morar na África é o preço das passagens aéreas, muito mais acessível que na nossa terrinha. Isso porque além do preço ser mais em conta mesmo, a Libra Egípcia vale cerca de 3.6 vezes menos que o Real, então tudo fica muito barato quando comparado ao Brasil.

Pedacinho de Dubai

Como o próprio nome diz, os Emirados Árabes é um país que compreende 7 emirados com governantes diferentes, logicamente árabes, mas muito diferente do Egitão.  Embora o país seja até mais conservador que o Egito em alguns sentidos, os turistas tomam conta do lugar, então existe certa flexibilidade nos costumes no que se diz respeito a eles.  Para falar a verdade conheci somente a cidade de Dubai, mas aí vem a pergunta: Para que mais???  O lugar é fantástico!!! Fiquei um bom tempo na frente do computador pensando por onde começar a descrever tudo o que vivi. Cheguei à conclusão que posso resumir basicamente nas seguintes palavras: I Love Dubai!!!

Burj Khalifa

Burj Khalifa

Preciso dizer aqui que a cidade é muito linda, toda feita pela mão e pela fértil imaginação do homem. Cada prédio, cada avenida, cada estação de metro é realmente estonteante. Acredito ser lá o paraíso dos arquitetos. Tudo é muito bem estruturado e ridiculamente grande. A começar pelo Burj  Khalifa, o prédio mais alto do mundo, medindo 828 metros de altura. Você se sente uma formiguinha perto desta belezura. Para se ter uma noção, quando logo aterrissei na cidade, as nuvens estavam cobrindo o topo do edifício. A palavra “Burj” significa torre, e em Dubai, existem muitos lugares que apresentam este nome, isso porque tudo lá é realmente muito grande. Infelizmente não pude entrar no prédio, pois as visitas não estavam disponíveis, mas tudo bem valeu ver de fora!! Acho que teria vertigens lá em cima.

Burj Al Arab

Outro lugar fantástico é o Burj Al Arab (Torre das Arábias), um hotel 7 estrelas construído sobre uma ilha artificial e imita literalmente a vela de um barco. Neste sim, pude entrar e até desfrutar de um chazinho da tarde. Tudo muito “chique do úrtimo”. Me senti a própria Paris Hilton, tão fútil quanto inclusive hehehe. Mas acho que todos nós precisamos de um pouco de “glamour” não é mesmo? Gente, este hotel é lindo!!  Parece todo banhado a ouro e os quartos são futurísticos e todos (pasmem) duplex. Lá dentro tudo funciona. Na verdade vi uma hospede reclamando no restaurante, mas tenho que dizer, provavelmente ela era louca! A gente deu uma fugidinha e conseguiu subir até o restaurante que fica quase no último andar, isso porque a visitação é proibida, mas enganamos as recepcionistas no estilo 007 e entramos no elevador (panorâmico de frente para o mar). Da vista do restaurante, pode-se ver a Palm Jumeirah (Palmeira de Dubai), uma ilha em forma de palmeira também artificial, onde se encontram as casas de vários famosos e ricaços obviamente. No começo do Brunch (nome chique para chá da tarde) eles oferecem uma tacinha de espumante francês. A tigrona aqui já queria repetir a dose neh? Nem preciso contar o resto do menu…

Palm Jumeirah

Outros dois lugares muito bonitos são o Madinat Jumeirah e o Resort Atlantis. O primeiro trata-se de um complexo de hotéis e restaurantes, além de um shopping típico. Em seu interior existe outra ilha artificial onde você pode visitar através de gôndolas, lugares lindos e instalações magníficas (nada para a minha bolinha). O passeio é bem romântico e vale a pena ser feito. O segundo está localizado na ponta da Palm Jumeirah e também é cheio de restaurantes muito legais, além de um aquário gigante onde vive um tubarão baleia bem fofinho!!

Dubai Mall Aquarium

Os shoppings são também lugares importantes a serem comentados (para mim nem se fala então…). Lindos e aparentemente infinitos. Minha  dica é: Se você encontrar algo que goste em uma loja, compre. A possibilidade de você nunca mais achar a mesma é grande. Pensem em alguém que gastou as solas dos sapatos nos shoppings. Euzinha claro!!!  Ainda mais estando sozinha, já que o Rodrigo estava trabalhando (coitadinho!). Confesso que roupas não é bem o forte do lugar, mas no que se trata de cosméticos, maquiagens e demais bugigangas, aí sim, é o universo ideal do consumo. Tudo muito barato mesmo!!! Quem me conhece sabe que passei um bom tempo dentro das farmácias e lojas de cosméticos. Você está calmamente caminhando dentro de um shopping, frustradíssima por ser pobre, quando de repente, você dá de cara com um corredorzinho básico, onde se encontram as lojas das grifes mais famosas (caras) do mundo. Desta vez eu NÃO me senti a Paris Hilton mesmo!  Mas tudo bem, voltei ao meu status humilde e percebi que era uma privilegiada por ver aquilo (aham). Os dois principais shoppings são o Dubai Mall, onde existe outro aquário gigante repleto de tubarões e arraias e o Mall of Emirates, mais aconchegante e um pouco menor que o primeiro.

Camelinhos

No terceiro dia tivemos a oportunidade de fazer um passeio muito legal: Um Safári no deserto! Não, não tem leãozinho nem elefantinho, mas tem muita diversão! Para começar você é levado em uma caminhote  Toyota Land Cruiser até o meio do desertão, os pneus são esvaziados e então um grupo de 20 caminhonetes começa a subir e descer as dunas (imensas) em uma velocidade respeitável. Não preciso dizer que eu era a pessoa mais escandalosa no grupo neh? A sensação de capotagem e de que você vai bater no carro da frente é assustadora, mas ao mesmo tempo divertidíssima. Após o momento adrenalina faz-se uma pausa para tirar fotinhos com os camelos. Muito fofo!!! Passado o momento nostalgia você é levado até o acampamento para jantar. Neste lugar tem diversas atrações: fumar xixa, andar de camelo, fazer sandboard, tatuagem de henna e aprender um pouquinho de dança do ventre! Muito legal!! Andar de camelo foi realmente uma experiência inesquecível, principalmente para o camelo, no meu caso. Imagina uma pessoa um tanto quanto histérica. Gente, é muito estranho. Ele se requebra todo para subir e descer. Esse passeio foi inesquecível!!

Dragon Mart

No último dia eu implorei para conhecer um mercado chinês que me disseram ser ótimo para compras. Tudo “falsi” obviamente, mas como eu sou uma pessoazinha simplesinha (ironia), queria muito conhecer o tal Dragon Mart. Arrastei o Rodrigo para lá e junto com um amigo que estava nos ciceroneando, desbravei o lugar. Muito legal!!! Muito barato!!! Muito chinês!!! Mas o mercado está mais para Hipermercado do que para camelódromo como me foi informado. Para se ter uma idéia, não consegui conhecer tudo em um dia. Existem cerca de aproximadamente 15 departamentos diferentes, cada um com umas 50 lojas cada. Tudo o que é tipo de bugiganga que você pode imaginar. Mesmo cansada, fiz obviamente, umas comprinhas de necessidades básicas!

Bom, para terminar o blog de hoje, quero dizer que me sinto uma pessoal privilegiada. Nunca imaginei conhecer lugares tão maravilhosos em tão pouco espaço de tempo. Agradeço muito por isso. Dubai é uma cidade encantadora e as facilidades que ela apresenta, são de fazer qualquer um querer morar lá. Me senti muito feliz durante estes 6 dias de passeio e espero realmente fazer muitos outros. Agora é bola para frente aqui no Egito.

Grande beijo!!

Previous Older Entries

Quantos já passaram por aqui...

  • 405,622 acessos

del.icio.us

The best

RSS A História de uma gata

  • Memorial 19/05/2016
    Tá tudo certo. Resolvido. Jurado e sacramentado. Até que percebo uma leve alteração na respiração ao estacionar o carro e meu coração acelerar no elevador e bater na garganta quando chego na porta. Ela abre. Eu disfarço. Faço uma piada, enquanto minha mente me joga, sem dó, frames de sons, momentos e sensações. Me lembra que voltei a brotar ali .E eu penso n […]
    noreply@blogger.com (Fernanda Copatti)

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 371 outros seguidores

%d bloggers like this: