Era uma vez, Miriam e Amauri…

Palavra do dia:

Família: a’ilah

**************************************************************************

No mês de novembro, minha mãe e seu namorado vieram nos visitar aqui no Egito. A viagem começaria aqui e depois seguiria como destino final Paris. Confesso que Dona Miriam e Seu Amauri nos alegraram bastante. Logicamente que vou detalhar esta aventura imperdível para vocês.

Minha mãe já havia viajado ao exterior antes, isto há bastante tempo, mas o Seu Amauri era marinheiro de primeira viagem, então tudo era basicamente novo e diferente para eles.

Hard Rock Café

No primeiro dia, como era sexta-feira, o melhor dia para sair de carro na cidade (estão todos rezando nas mesquitas), resolvemos dar uma volta para mostrar o Cairo aos visitantes. Fomos almoçar no Hard Rock Café e assim que o Amauri colocou os pés lá dentro ele largou sua frase mais famosa que nos acompanharia por toda a viagem:

Mas o que seria isto???

Explicamos a ele sobre o lugar e então ele pegou seu celular e começou a fazer aquilo o que ele mais se ocupou em fazer durante cada um dos 20 dias seguintes: FOTOS!!!! Milhares e milhares de fotos!!!

No caminho para casa, bem aqui pertinho, estão construindo uma mesquita enorme que aparentemente promete ser bem bonita. O Amauri, sempre divertidamente curioso, nos questionou sobre ela e prontamente demos a explicação que sabíamos.

– O que seria esse “monumento”?

– É uma mesquita ainda em construção. Vai ser uma das maiores aqui de Sheik Zayed.

– Que linda heim??

Pirâmide de Djoser - Sakara

Nossa primeira atração turística foi o parque de Sakara. Um complexo arqueológico onde está localizada a pirâmide de Djoser. Esta é conhecida como a primeira pirâmide, aquela que serviu de exemplo para todas as outras. Construída por Imhotep, o mais famoso arquiteto do Antigo Egito.

Ao chegar ao parque, fomos visitar o pequeno Museu que conta a história do complexo. Após muitas explicações e exclamações do tipo “Como é que pode né?” Fomos então ver a pirâmide principal e o restante do lugar.

Assim que avistamos a pirâmide de Djoser, Amauri prontamente questiona:

– O que seria isso??

Rodrigo faz uma longa explicação sobre o local e sobre as “Mastabas”, que são túmulos, em forma de caixas gigantes construídos com tijolos de argila. Estas foram utilizadas durante todas as dinastias egípcias e serviram como base para construção das pirâmides. A pirâmide de Djoser trata-se na verdade de vários túmulos um sobre o outro.

Todos pareciam ter entendido bem a explicação e então seguimos em frente com o passeio.

Amauri, que a esta altura já coletava pedrinhas para recordação e fotografava todooooosssss os detalhes do lugar, estava com sua felicidade estampada no rosto. Minha mãe, não se cansava de aprender com tudo aquilo. Coisas que ela havia apenas lido nos livros de história, hoje eram reais aos olhos.

Nesta hora, ao nos aproximarmos da pirâmide de Djoser e avistarmos as Mastabas uma sobre as outras, Amauri questiona curioso:

– O que seriam Mastabas?

– ??????????????????????? (todos)

Bom, neste mesmo dia fomos andar de Felluca (barco a vela). Curtimos um lindo anoitecer as margens do Rio Nilo, para depois nos deliciarmos com a comida Libanesa em um dos melhores restaurantes da cidade. Minha mãe se agarrou no prato e foi uma tarefa árdua fazê-la soltar!

Na volta para casa ao passarmos pela Mesquita em construção surge a pergunta:

– O que seria isso??

– É a mesma mesquita Amauri. Aquela de ontem lembra?

– Ah Tah!

Platô de Giza - Pirâmides

Para fazermos o passeio das três pirâmides principais, contei com a ajuda de um amigo querido que trabalha como guia aqui no Egito. Foi muito legal, mesmo após tantas e tantas visitas já feitas, entrar ainda mais na história daquele lugar mágico. Era a primeira vez que eu fazia o passeio com um guia.

Amauri estava perplexo, não via a hora de poder entrar na pirâmide. Tinha grandes expectativas sobre como seria lá dentro. Tentamos persuadi-lo, dizendo que não tinha nada de mais, que era apenas uma sala vazia e que o caminho era um túnel apertado e cansativo. Atentem para o detalhe que ele mede cerca de 1,90 de altura (eu acho). Mas nada o convencia do contrário. Ele precisava saber!!!

Infelizmente as pirâmides grandes estavam fechadas, mas as pirâmides das rainhas não. Elas são bem menores, e o acesso que leva à sala dos tesouros (que é vazia) é um longo túnel direcionado para baixo da terra, ao contrário das outras que é uma longa subida até quase o topo.

Lá se foram, Miriam e Amauri para a descida. Ficamos esperando por eles e cerca de dez minutos depois, surge o casal esbaforido. Minha mãe estava branca e o Amauri completamente molhado de suor.

Surge então a conclusão:

– Bah!!! Mas esse troço é cumprido né Tchê!!! E não tem nada lá embaixo!!! Fiquei com uma dor nas costas!!!!

Após 15.478 fotos, uma voltinha de camelo, muitas pedrinhas recolhidas e uma aula de história, regressamos exaustos ao lar para assarmos uma carninha na churrasqueira nova!! Uebaaaa!!!!  Tah, tudo bem que não é como o nosso estilo lá do Sul, mas “quem não tem cão, caça com gato” né!

Churrasquinho básico

Neste dia demos uma passadinha no Carrefour para comprar a carne. Foi quando Amauri, inconformado com a forma que os egípcios fazem o corte (marreta) tentou, utilizando o seu melhor árabe, se comunicar com o açougueiro. Não preciso dizer que foi hilário os gestos, caras e bocas que os dois trocavam. No fim, ele entendeu que a cerra de carne havia estragado ou explodido?! Como ele entendeu isso??? Ah! Não Somente ele poderá explicar!!!

Mamãe, empolgada com o churrasco, não percebeu que a janela da área estava fechada e deu de testa no vidro. Resolveu então limpar o vidro que estava sujo pela fumaça. Fechou a janela, limpou, se distraiu novamente e quando tentou voltar para dentro de casa, chocou-se mais uma vez contra a porta. Desta vez, não satisfeita com sua proeza, quebrou meu copo de cerveja caríssimo! Hehehehe.

Nos dias que ficávamos em casa o Amauri consertava tudo!! Mamãe ajudava!! Meu jardim ficou limpo, as luzes pararam com o mau-contato e agora permanecem acesas, o exaustor da cozinha finalmente teve serventia e a minha horta de alface e couve está crescendo como nunca. Mas, em uma ocasião, ele decidiu ajeitar os cabos dos fios no jardim!! Pronto!!! Lá se foi a internet!!!

– Amauriiiiiiii!!!! Não mexe aí!!!!!!!

– Mas estava tudo para fora, exposto e caído!!!

– Mas é assim mesmo!!! Se colocar para dentro a internet não funciona! Bem-vindo ao Egito!!!

Outra vez ele insistiu em lavar o carro…

– Amauri!! A gente mora no deserto meu filho!!! Tem que economizar água!!

Lá se foram litros e litros…

Claro que a boa intenção dele foi muito legal! Agradecemos de coração! (com sinceridade mesmo)

Com certeza o dia de maior decepção foi quando fomos visitar o Museu do Cairo. Por quê? PROIBIDO LEVAR MÁQUINA FOTOGRÁFICA!!!

– E agoraaaaaaaaa?????????????? Nãoooooooooooooooooooo!!!!!!!!!!!

Pobre Amauri…

No final deu tudo certo. Ele acabou se conformando e então o Museu foi aproveitado ao máximo. A Miriam adora história, então aquele lugar foi um prato cheio para ela. O ouro então foi a atração principal sem dúvida. Estonteante! Amauri estava interessado nas Múmias… “Rolou um clima.”

Passeando no Khanal Khalili

O passeio ao Khanal Khalili foi muito bom também. O casal comprou muitas coisas e estavam realizados com as aquisições. Já disse que lá é tudo muito barato né? O item que deu mais trabalho foi um abridor de garrafas que posteriormente, percebeu-se que apenas um não seria suficiente! Devíamos ter comprado dois! Putz!!! (agora foi piada)

Foi ali, que Amauri entrou em sua primeira e tão esperada mesquita. Mas além de entrar ele resolveu dar também uma rezadinha básica! Não aconselho a ninguém fazer isso! Os muçulmanos consideram um desrespeito. Mas ele não podia deixar esta oportunidade passar. Quando ele saiu de lá eu disse:

– Tu é louco?? Rezar entre os muçulmanos???

– Imagina, eles nem perceberam que eu não era muçulmano. Eu fiz igualzinho a eles!!

– Ahammmmm!!!

A caminhada em busca dos lenços também foi emocionante. Para se chegar lá é preciso atravessar uma parte do bazar onde é freqüentada em sua maioria por locais, ou seja, procure ser o mais discreto possível.

Mas nada amedrontava Amauri, que com sua câmera fotográfica (nova) tentava tirar fotos das mulheres de burca.

– Amauri!!! Tu vai levar um soco dessas mulheres!!!!

– Não, elas não estão vendo, estou sendo discreto!!

– Amauri!! Teu flash é mais forte que farol de xênon!!!

Ele até tentou fazer um vídeo, mas esqueceu de apertar o botão na máquina!! (não podia deixar de mencionar isso, hahahaha)

Neste dia minha mãe me surpreendeu com seu inglês!! Comunicava-se com uma facilidade invejada por muitos… Dentro do possível para alguém que só estudo o básico da língua na escola claro. Fiquei surpresa!! Dá onde que ela lembra tudo isso??? (sério mesmo!)

Outro momento especial para Miriam foi quando fomos ao Cairo Copta Cristão. Lá, ela pôde colocar em prática todos os seus conhecimentos. Ver aquelas igrejas esculpidas na rocha e conversar com os locais é sempre muito interessante e a beleza do lugar é fascinante. Ainda tivemos a sorte de assistir uma entrevista com dois Papas Coptas dentro de um dos templos para a TV cristã. Claro que não entendemos nada, mas valeu pela imagem deles todos vestido a caráter com suas longas barbas.

Depois disso uma visão “reconfortante” da cidade do lixo!

 

Cidadela

A Cidadela também foi um passeio bem divertido. Tiramos fotos com as meninas egípcias muçulmanas, sempre curiosas a nosso respeito. Minha mãe sempre muito simpática e prestativa, eu, nem tanto! Dentro da Mesquita os meninos insistiam em bater fotos minhas… É complicado não poder ver mulher na internet né? Não podem ver uma estrangeira que ficam alvoroçados!! Coisa chata!!!!

Voltando para casa, passando pela mesquita em construção pea vigésima vez, eis que…

– O que seria isso??

Açougue de Rua - Cairo

– Ah não Amauri!!!!!!!!

– Tah Bom, Tah Bom!! Já sei!!!

Outro ponto importante da viajem foi a caça pelos açougues de rua! Meu amigo Amauri não sossegou enquanto não conseguiu tirar uma boa foto do tal lugar. O detalhe é que estava quase no Dia do Sacrifício, ocasião em que se sacrificam animais em plena rua. Os açougues estavam lotados de carnes penduradas… Um luxo!!!

No final de semana fomos para Alexandria. Ficamos perdidos aproximadamente quatro horas pela cidade a procura de nosso hotel. Descobrimos mais tarde que ele se localizava a 25 km da cidade. Mas o hotel era super bonito e a minha mãe adorou passar algumas horinhas na piscina. Amauri, deu umas braçadas…

A cidade em si eu confesso, não achei nada de mais. A biblioteca é mágica, fora isso…

Biblioteca de Alexandria

A beira-mar também é bem bonita. Limpa e com um calçadão extenso para caminhar. O Forte e demais lugares turísticos são bonitos, mas não a ponto de valer a viajem. Obviamente que esta é apenas a minha opinião ok? Conheço gente que adora aquela cidade!

O próximo destino seria Paris.

Na França tudo foi maravilhoso, como já escrevi o blog sobre Paris, não vou me aprofundar. Minha mãe realizou um sonho e com certeza eu também. Amauri continuou com as suas fotos, sempre curioso e empolgadíssimo. Curtimos momentos maravilhosos juntos.

Minha mãe deslumbrada com as lojas e logicamente com a paisagem estonteante da cidade. Redescobrindo seu francês dos tempos de escola, satisfeita com seu desempenho. Amauri, bem, Amauri nem tanto…

Mas uma coisa vocês podem ter certeza meus amigos. Se existe alguém que catalogou o Museu do Louvre, obra por obra, esse alguém é o Amauri!!!  Se quem foi a Paris, por acaso se esqueceu de fotografar algum detalhe é só pedir para ele. Com certeza ele poderá te ajudar!!!

Para não dizer que nada de engraçado aconteceu, certa noite acordamos com o alarme de incêndio do hotel!! Sabe aqueles hotéis pequeninos de Paris com somente uma saída né? Imagina a confusão!! Eu peguei a minha bolsa e a “chapinha” e desci as escadas. Ainda bem que foi alarme falso! Ufa!!!

A viagem toda foi um sucesso!!! Curtimos juntos momentos inesquecíveis, tanto no Cairo quanto em Paris. Matamos a saudade, rimos muito e bebemos todas!!! É sempre maravilhoso compartilhar momentos com pessoas queridas. Às vezes não percebemos como a família da gente pode ser a melhor companhia para uma viajem. Minha mãe que é uma mulher radiante e amiga para todas as horas e o meu amigo Amauri, que me surpreendeu com sua simplicidade e vontade de viver!

Muito obrigado aos dois por nos proporcionarem estes momentos!!!

 

Até a próxima!

Um Grande Beijo!!

 

Mamãe, empolgada com o churrasco, não percebeu que a janela a área estava fechada e deu de testa no vidro. Resolveu então limpar o vidro. Fechou a janela e quando tentou voltar para dentro de casa, novamente chocou-se com a porta. Desta vez, não satisfeita com sua proeza, quebrou meu copo de cerveja caríssimo!

Anúncios

AS AVENTURAS DE THADEU E ANA NO ORIENTE

Palavra do dia:

Roubar: yasriq

*******************************************************************************************

Hóspedes em minha casa são sempre bem-vindos, agora quando a visita é da família é muito melhor!!!

Mês passado meu pai (Thadeu) e sua namorada (Ana Paula) vieram me visitar aqui no Egito. Tudo ocorreu de uma forma bastante surreal. Isso porque sempre achamos que visitas de família nunca vão acontecer. É engraçado, mas é verdade. A gente sempre pensa que as promessas vão ser só de boca e que por mais que as pessoas queiram te visitar, isso nunca vai ocorrer de fato. Mas ocorreu…

Quando fui ao Brasil em julho, meu pai havia dito que em breve estaria me visitando. Fizemos vários planos, mandei um e-mail com datas ideais para a visita e tudo mais. Mas lá no fundinho eu achava que a visita não aconteceria neste ano ainda. Um dia, estávamos falando ao Skype e meu pai disse:

Thadeu e Ana Paula

– Filha, compramos as passagens!!!!

– UEEEEEEEEEBBBBBBBBBAAAAAAAAA!!!!

SHOWWWWWWWWWW, como diria meu pai. Na verdade essa é a palavra preferida dele!

Eles chegaram logo no início de setembro, juntinho do fim do Ramadan. Logo na chegada, a primeira surpresa…

Estávamos eu e Rodrigo esperando por eles no saguão do aeroporto, e mesmo para os padrões egípcios, estavam demorando a sair. O vôo deles era via Dubai e eles haviam pernoitado lá. No momento que eles saem pela porta eu percebi que algo estava faltando… As bagagens!!

– Pai, cadê as tuas malas??

– Não sei, acho que estão em um depósito do aeroporto porque elas vieram antes.

– Depósito???? Como vieram antes? Não tem vôo antes!

– Sim, a moça de São Paulo me disse que as malas viriam direto para o Cairo!

– ???????????????

Estávamos achando aquilo muito estranho e como o inglês dos dois não é nada fluente, logo percebi que havia um mal entendido. Voltamos até a saída do desembarque e eu pedi ao segurança que meu pai entrasse novamente e fosse até o balcão de reclamação de bagagens. Quando voltei perguntei à Ana:

– Ana, vocês olharam na esteira de bagagens né?

– Não! Fomos direto para a saída porque teu pai disse que não estariam lá.

– Não acreditoooooo!!!!!! Vocês nem olharam a esteira???

Neste momento volta meu pai lá de dentro com aquela cara de “OPS”, carregando todas as malas.

– Elas estavam na esteira!

– Não brinca!!!!!!

Pegamos o carro e logo na saída do estacionamento do aeroporto eles já recebem o famoso “Welcome to Cairo”. O trânsito do estacionamento estava uma bagunça. Meu pai ficou apavorado!! Ele não acreditava nas “proezas” dos motoristas. Em dois segundos ele estava agarrado na alça do teto do carro (famoso “puta merda”)!!! Não preciso dizer que a viagem toda até em casa foi uma grande aventura para eles!

No dia seguinte íamos direto para Sharm El Sheikh!!

A Van nos buscou as sete horas da manhã e chegamos em Sharm aproximadamente as duas da tarde. O calor estava insuportável e fomos direto para a praia. O mar estava maravilhoso como sempre. Mergulhamos, tomamos sombra (porque sol era impossível), e a noitinha, fomos ao centrinho.

Após o jantar, uma pausa para a cerveja e para a Sheesha. Quem vem ao Egito tem que fumar Sheesha!

Passeamos muito, andamos de barco, mergulhamos em vários lugares, fizemos compras e infelizmente já estava na hora de voltar. Mas para eles a aventura só estava começando.

As palavras do meu pai ao voltar de Sharm foram:

– SHOWWWWWWWWWWWWWWWW!!!

As da Ana…

– Show né Thadeu???

Aqui no Cairo fizemos o de praxe. Pirâmides, Khan Al Khalili, Cidadela, Museu, etc. Aqui cabe um conselho aos turistas. Quando forem ao Museu, contratem um guia! O passeio fica muito mais esclarecedor! É baratinho e vale muito à pena! Descobri sobre coisas que não tinha a menor idéia do que se tratavam.

Tudo os deixava fascinados, mas o que mais chocava era o contraste social. Eles ficaram assustados com a pobreza e a sujeira do Egito. Todos ficam!! Ver as pessoas nas ruas, caminhando sobre o lixo choca a qualquer um. Se deparar com os prédios inacabados e sem janelas é inacreditável aos olhos. As lojas com comidas expostas nas ruas, a sujeira dos restaurantes, tudo isso também faz parte do cartão postal da cidade.

Meu pai não cansava de dizer que aquela lição ele jamais esqueceria. A Ana por sua vez, lutava contra os odores que provinham dos motoristas de taxi. Hehehehe. Ela tem um nariz muito sensível tadinha! (brincadeirinha Ana, mas não podia deixar passar)

Dia engraçado foi quando resolvemos conhecer o Azhar Park. Um parque municipal bem bonito aqui no Cairo. Eu nunca havia estado neste parque e enquanto esperávamos um amigo que almoçaria conosco, ficamos observando as pessoas. Melhor, ficamos mais é sendo observados, isso sim. Parecíamos extraterrestres no meio daquela gente. As pessoas curiosas ao nosso respeito chegavam a tirar fotos nossas às escondidas. Ao entrar no parque percebi como falta diversão para este povo. Os adolescentes estavam tomando banho nos chafarizes do parque!! (Pareciam a Suzana Vieira em Paris). Aquelas meninas todas tapadas com seus véus, se refrescando e pulando sobre as águas. Meeeedddddooooooo!

Cidade do Lixo

Após esses momentos de emoção, fomos conhecer a cidade do lixo e o Monastério de São Simão, localizados num bairro muito pobre chamado Moqattan. A igreja que é toda esculpida na pedra é um lugar muito bonito. Construída dentro de grutas, é uma das principais igrejas Cristãs do Cairo. Pretendo falar sobre estes assuntos num próximo Post.

Daquele ponto da cidade, por ser uma região alta, avista-se a Cidade do Lixo. Ali vivem as pessoas que sobrevivem da reciclagem e o local parece ter uma vida independente do resto do Cairo. Ao subirmos em um prédio em construção, a fim de ver a paisagem, o choque da visão nos deixou mudos!

É realmente apavorante. O cheiro, as construções e as pessoas se misturando àquela paisagem. Meu pai avistou um prédio que em sua cobertura, havia uma criação de cabritos. Mais de trinta animais vivendo no topo de um prédio. Chegamos à conclusão de que nunca mais comeremos cabrito por aqui!!!

Quando olhamos para o lado, após cinco minutos de reflexão sobre a vida, embriagados com o cheiro insuportável do lixo que nos cercava, percebemos que alguém estava faltando…

Onde está a Ana???

Ela já estava na escada do prédio quase a ponto de rever o almoço. Com aquela carinha de: – Por favor, vamos embora daquiiiiiii!!!!!

Fomos embora, mas guardamos as imagens para sempre!

O restante dos dias foram super agradáveis. Fomos aos diversos pontos turísticos obrigatórios. Eu e o Rodrigo os levamos em restaurantes super bons. Andamos de Feluca (barco do Nilo). Apresentamos os dois à alguns de nossos amigos e nos divertimos muitos. Deu para cansar o casal.

Nosso próximo destino seria Dubai!!!

Estávamos em vôos separados e eu cheguei em Dubai antes deles. Quando eu e minha amiga Camila, que estava gentilmente nos ciceroneando na cidade, pois é guia turística lá (http://www.dubaitheway.com), fomos buscá-los no aeroporto, logo veio a outra surpresinha do casal.

– Poxa minha filha, tive que pagar quatrocentos dólares pelo hotel…

No começo eu achei que era brincadeira dele, mas quando estávamos já no carro a caminho do hotel, entendi melhor a história…

– Como assim, pagou o hotel no aeroporto?

– Sim, o rapaz da Emirates disse que eu tinha que pagar, além do visto, mais quatrocentos dólares de hotel.

Eu e a Camila achamos aquilo muito estranho e ao chegarmos no hotel, percebemos que estávamos certas.

– Não Senhor. O hotel deve ser pago aqui, não no aeroporto!

Lá voltamos nós ao aeroporto para esclarecer a situação!

Ninguém sabia nos informar onde era o departamento que nos atenderia e após caminhamos cerca de uma hora e meia pelo terminal, finalmente achamos o balcão que deveríamos prestar a reclamação.

Falamos ao telefone com o famoso “rapaz da Emirates” e ele disse que havia cobrado apenas o visto. Explicou que não cobrou o hotel em momento algum e se havia ocorrido um roubo, seria do caixa do banco. Fomos à polícia.

Explicamos o ocorrido pela vigésima vez e a esta altura ninguém mais entendia nada. O policial fez mil perguntas e finalmente nos levou até o local onde estava o guichê do banco. O atendente não estava mais lá e então refizeram todo o fechamento do caixa para ver se não havia dinheiro sobrando…

Várias hipóteses vinham em nossas cabeças e então eu perguntei ao meu pai…

– Pai, tu tem certeza que não confundiu “four hundred dolars” com “one hundred e four”? (quatrocentos dólares com cento e quatro)

Vamos combinar que é beeemmmm parecido né?

A dúvida pairava no ar… Mas uma coisa era certa, havia sumido uma boa quantia de dinheiro.

O policial até tentou ajudar, mas os atendentes do banco colocaram muita pressão. Diziam que deram o troco certo e que ele havia gastado. Afirmavam ter entregado uma nota de mil Dirhans (moeda dos UAE) para ele e que ele havia perdido e blá, blá, blá…

No fim, mesmo depois de olhar o sistema de câmeras, nada ficou provado e meu pai saiu sem a grana, quase sendo acusado de ter forjado a situação. Em Dubai isso pode ser um problema bem sério!

Coitada da minha amiga ficou lá nos agüentando e resolvendo tudo até a uma hora da madrugada!!

Resumo da história: O caixa enrolou meu pai no troco e embolsou cerca de trezentos dólares!

Lição da história: Confira sempre o troco!!!

Fora este episódio, Dubai foi maravilhosa e a Camila também! Muitas fotos, muita comida boa, muita diversão!

A diferença entre Dubai e Cairo é gritante. Na verdade é impossível de comparar. Lá tudo funciona, não tem lixo e o trânsito é organizado.

A Ana ficou notavelmente realizada com o lugar. Meu pai, com os carros.

Burj Al Arab

Tudo muito chique!!! Agora chique mesmo foi o café da tarde no Burj Al Arab que os dois pombinhos tomaram… Simplesmente o hotel mais caro do mundo!! Ou um deles ao menos!! Sete estrelas!!! Te mete com o casal!!! Tadinhos, não estão acostumados com tanto luxo!!! Hehehehe

Fizemos também o Safári no Deserto!! Ali sim, faltou “puta merda” suficiente. Eu e a Ana gritávamos desesperadamente a cada duna de areia que a caminhonete descia! Meu pai só ria e se agarrava onde podia!! Muita emoção!!!  Eu já havia feito antes, mas é sempre uma aventura!!!

O único probleminha é que junto conosco estava uma família de iranianos que pediu para colocar música árabe durante o passeio. Beeeemmmm alta!!! Eles batiam palmas, cantavam e brincavam dentro do carro! Nada contra as pessoas felizes, mas música árabe é o mesmo que poluição sonora e naquela altura então, o suicídio é uma opção mais agradável!!! O bafo do papai iraniano também sugestionava uma morte rápida…

Mas a viagem foi maravilhosa. Dubai é sempre perfeita.

Na verdade, eu acredito que quando estamos com pessoas que amamos, nada é ruim! Seja lá em qualquer cidade do mundo. Todos nos divertimos muito, aproveitamos cada minuto em família e mesmo nos lugares mais chocantes, ficamos sempre com a lição: Se permanecermos unidos, sempre podemos sobreviver!!!

Espero que o Thadeu e a Ana tenham aprendido muito.  Que as lições de vida do Cairo e o luxo de Dubai tenham feito alguma diferença na vida deles. Espero também, que esta seja apenas a primeira de muitas viagens que faremos juntos.

Pai, conto contigo!!! (Se é que tu me entende…)

Momentos que NÃO TEM PREÇO:

– Não olhar a esteira de bagagens…

– Confundir “Excuse-me” com “sorry” 12.432.345.000 vezes.

– Não carregar a bateria da câmera fotográfica na véspera da visita às pirâmides.

– Tomar banho no “chuveirinho” do hotel ao invés de usar a ducha própria para isso!

– Trancar o pezinho na cela do camelo!

– Ser assaltado pelo caixa do banco em Dubai!

– Perceber que aquelas aulinhas de inglês eram realmente necessárias!

Beijos

HÓSPEDES DO BARULHO!!

Palavra do Dia:

Visita: Ziyaarah

************************************************************************************************************************   

Mês passado andei recebendo visitinhas por aqui… Aliás, duas visitas mais que bem vindas. A prima do Ro e uma querida amiga resolveram dar uma passadinha pelo Cairo antes de ir à Europa. Bem no caminho né? Hehehehe. Na verdade me senti lisonjeada pela escolha delas, desviar 3.000 km só para passar três dias com a amiga aqui, não é qualquer um que faz!!!   

 Hoje vou contar para vocês como foi a passagem da GI e da SI pelas arábias.   

Fazia apenas um dia que Rodrigo e eu havíamos chegado do Brasil. Eu mal havia desfeito as malas quando as gurias chegaram. Já no começo da “empreitada egípcia” um pequeno probleminha… Vôo atrasado!!! Normal. O problema é que elas não conseguiram nos avisar e o Rodrigo acabou tomando um chá de banco básico no aeroporto. Sem problemas. Recolhidos os pacotes, seguiram viagem aqui para casa.   

Durante o trajeto, elas logo perceberam o agito noturno da cidade. Já eram 2 horas da madrugada e o Cairo estava “bombando”. Ao passar por uma das diversas pontes que atravessam o Nilo, a primeira foto logo foi requisitada…   

– Pára!! Pára, que a gente quer tirar uma fotinho, por favor!!!!   

– Sem problemas, pode descer e tirar quantas fotos vocês quiserem!    

Diversão no Cairo

  

Ao perceberem a “classe social” que estava habitando o local naquele momento, logo, logo mudaram de idéia.  O medo de ser assaltada, que de certa forma é ilusório e preconceituoso (mas eu ainda tenho) impediu que elas saíssem do carro…   

– Ahhhh Ro! Tira a foto para a gente vai!!!   

Bom, quando elas chegaram em casa, estavam como diz a expressão, “A mil pelo Brasil”, neste caso no Egito. Cheia de histórias para contar do avião, do embarque no Brasil, da conexão em Madri, da chegada no Cairo, enfim… Fomos dormir às quatro da manhã. Não preciso mencionar que teríamos que acordar cedinho no dia seguinte.   

Primeira parada: PIRÂMIDES!!!   

Olha, eu acho que já estive nas pirâmides umas três ou quatro vezes, mas NENHUMA DELAS ESTAVA TÃO QUENTE!!!!  A temperatura passava dos quarenta graus. Aí vocês vão pensar: Mas no Egito não é sempre assim??? Sim, verdade. Mas se aqui em casa já é quase insuportável, imagina no meio da porcaria do deserto??? Senhoooorrrrrr!!!! Nós quase falecemos!!! Cada passo era uma tortura. O único momento de alívio foi quando entramos no Museu do Barco que é o único local do parque que possui ar condicionado. Tenho certeza que perdemos uns cinco quilos nessa brincadeira.   

Isso, na verdade é uma grande pena. As pirâmides merecem atenção. Elas precisam ser apreciadas em todo seu esplendor. Os olhos das gurias certamente estavam encharcados, mas era de suor. Chega um momento que você quer ir embora dali, para qualquer lugar que tenha ar condicionado. Infelizmente, embora as 12.495 fotos tiradas, o dia não estava propício para o passeio.   

Fomos correndo para o shopping mais próximo. Almoçamos em um restaurante Mexicano bem legal. Antes de vocês me criticarem, os restaurantes típicos egípcios são melhores à noite, nosso dia precisava ser otimizado, portanto, perder tempo com almoço não era nosso foco! A comida estava MARA e logo em seguida o Rodrigo foi ao nosso encontro para dar seqüência à segunda parada: KHAN AL KHALILI   

Lembra do bazar mais antigo e um dos maiores do Oriente Médio néh? Aquilo ficou pequeno para nossa amada SI!!! Imagina uma pessoa que gosta de comprar. Mas que gosta muitoooo!!! Agora joga ela lá dentro daquele lugar. Imaginou?? Não, não… É beeeemmm pior!!! (brincadeirinha SI)   

Tudo era lindoooooo, maraaaaaa, meigooooo!!!  Mas o mais legal de tudo foi assistir elas negociando com os lojistas.  Era um tah caro prá cá, tah caro prá lá!!! Até que alguém na multidão chamou a SI de SHAKIRA. Hahahahahaha. Não preciso dizer que durante toda a viagem este foi o seu primeiro nome né? Sem contar as inúmeras vezes que ofereceram camelos em troca de casamento! Quem se habilita a dizer quantos?? Não gente!! Não vendemos a Si não!!! Quanta maldade heim?? Mas a Si fez suuuucesso no Khan Al Khalili.   

A GI não ficou atrás em suas peripécias…   

Entramos em uma loja de papiros bem linda, logo o vendedor começa a nos mostrar todos os papiros da loja. A GI que se demonstrou super interessada (grande erro) começa a fazer perguntas para o rapaz. Detalhe: Em português!!! Isso aconteceu em todas as lojas do bazar… Mas como íamos tentando ensinar ela a se comunicar, ela foi aprimorando suas habilidades lingüísticas e de repente ela solta uma assim para um vendedor:   

How much isso aqui?   

Hahahahahahahahahahahahahaha   

What????   

Bem, um dia quente e divertido merece uma cervejinha para comemorar não é mesmo? Fomos levar as meninas para conhecer o Hard Rock Café do Cairo. Fica ao lado de um dos hotéis mais luxuosos daqui e na beira do Rio Nilo. Chegamos lá e a primeira palavra dirigida ao garçom foi:   

–  4 Beers please!!   

O garçom com a maior naturalidade diz:   

Today non alcoholic day (Dia não alcoólico)   

Whaaaaattttt?    

Meu mundo desabou como num passe de mágica. Era justamente o dia que homenageava um profeta que, sei eu o que!! Não faço a mínima questão de saber quem é esse senhor (o senhor foi ironia tah?), mas ele estragou minha noite!! Não preciso dizer que a comida (que nem é tão boa assim) perdeu toda a graça. Comemos rapidinho e as meninas prosseguiram com suas compras na lojinha do bar. afinal, não é todo mundo que tem uma camiseta do Hard Rock do Cairo neh?   

Grand Hyatt

  

Saindo do Hard Rock fomos passear no hotel (Grand Hyatt Hotel). Tudo lá é extremamente chique, mas nada que pudesse acanhar as mocinhas e seus clicks…   

 – Olha o tamanho desse lustre!! (tira foto)   

 – Olha essa escultura!! (tira foto)   

 – Olha esse restaurante!! (tira foto).   

 E assim fomos conhecendo cada detalhe do local…   

Dia Seguinte: MUSEU DO CAIRO   

Fomos para o museu lá pelo fim da manhã, pois além do cansaço, as atrações no Cairo só abrem a partir das 10:30hs. Para minha felicidade, é proibido tirar fotos no museu!!! (to de sacanagem) Acho uma pena, mas entendo…   

O Museu do Cairo é super legal, mas como tudo por aqui, extremamente desorganizado. As coisas ficam praticamente jogadas pelos corredores e com exceção da sala das múmias, o resto é quente e empoeirado. A máscara de Tutancâmon é uma das peças mais lindas do lugar, toda coberta com ouro e pedras. A SI se emocionou!!! Detalhe: ela trabalha com ouro. Hehehehehe.   

Após o museu, seguimos viagem para o Shopping City Stars. No caminho aconteceu algo que eu “preciso” contar à vocês. Todo mundo que visita um país diferente tenta, obviamente, aprender algumas palavras na língua local. Aqui as mais comuns são chokram (por favor), salam aleikum (uma espécie de cumprimento), Insh Alla (se Deus quiser) e Al hamdu Lillah (Graças a Deus). Estávamos nós no amado trânsito do Cairo e a SI já estava no seu auge do nervosismo. A todo o momento ela dizia: 

  

 Minha Nossa Senhora!!! Ai Jesus Cristinho!!!   

De repente nosso motorista leva uma fechada e ela solta a seguinte frase:   

– ­ Uiiii SALAMALEICO!!!!   

 – ???????????????????????????????   

Começamos a rir compulsivamente, inclusive o motorista, que já estava se divertindo muito com nossas peripécias. O que será que ela queria dizer??  Num momento de pavor a pessoa demonstra falar qualquer língua neh??? Mesmo que ninguém entenda o que ela quer dizer… Mas enfim, vale a tentativa.   

O shopping foi como se havia de esperar, tudo lindoooooo, maraaaaaa, meigooooo!!!  Se no Cairo elas estavam deslumbradas, imagina em Paris??? Infelizmente não tivemos muito tempo para aproveitarmos o shopping em sua totalidade. Precisávamos nos preparar para, agora sim, jantarmos em um restaurante egípcio.   

Encontramos com mais alguns brasileiros amigos nossos no restaurante Sequoia, e ao contrário do que as gurias pensavam, a comida era muito gostosa. Digo isso porque antes de elas virem para cá, estavam preocupadíssimas com os cheiros, sabores e horrores do Egito. Se surpreenderam heim meninas? Tá certo que eu dei uma “apavoradinha” nelas antes da viagem, mas foi um tanto que proposital (hehehehe). Ao chegarmos no local, um probleminha básico: A SI fechou a porta do carro no dedo do meu amorzinho!! (Que Alá despeje sua ira em você, SI!!!) Foi uma gritaria desvairada e eu, só para variar, comecei a rir compulsivamente! Sim, é assim que eu costumo agir em momentos de pânico!! Mas tudo bem, a noite foi perfeita e a companhia também.   

A Cidadela

  

O seguinte e último dia de passeio foi mais light. Fomos pela manhã à Cidadela, um local no Cairo Islâmico onde se encontra a mesquita principal do Cairo, an-Nasr Mohammed. Confesso que ainda não havia visitado o local. Muito bonito mesmo!!! Apesar do calor conseguimos curtir bastante o passeio. Engraçada foi a parte que precisávamos tirar os sapatos e devido à limpeza do local (ironia), era preferível ficar de meias. Minha amiga SI quase desmaiou. Está pensando que é por causa do chulé??? Que nada!!! Ela não queria sujar as meias do mickey dela!!! Vê se eu posso com isso!!!! Hahahahahaha   

Foto de um lado e foto de outro, tocamos a boiada para o bairro de Maadi. Motivo?? Compras!!! Fomos comprar lençóis egípcios em uma lojinha bem pequeninha que descobri neste bairro. Ali perto ficava também um dos meus locais preferidos: O OUTLET da Addidas, Rebook, Levi’s e Timberland! É pouco ou quer mais? Lá a GI continuou a exercitar seu… português fluente!!!   

Tem tamanho maior?   

GI!!!!!! Eles não falam português!!!!   

_ @&%#*@%!!!! Ela respondeu…   

Neste dia almoçamos no Shopping onde está localizado o Carrefour. Atendendo aos pedidos, entramos no mercado para um rápido passeio. Conforme escrevi em um post anterior, o Carrefour do Cairo é um tanto, vamos dizer assim, lotadinho. Astutamente desviamos dos carrinhos e das crianças a fim de chegar ao setor da padaria. Foi quando subitamente eu escuto:   

– Aiiiiiii!!!! Essa guria me atropelou!!!   

Era a SI…   

Atrás dela estava uma menina pilotando seu carrinho cheio de compras, obviamente sem usar seu sentido da visão! A SI olhou bem nos olhos dela, até porque era só o que dava para ver embaixo da burca e disse:  

– Vai para @%$#*&. (Em português logicamente)   

Pronto!!! Vocês não queriam o Carrefour???   

Buddha Bar

  

 Na chegada, as meninas haviam prometido pagar um jantar em retribuição à hospitalidade que foi dada por nós. Como elas queriam conhecer o BUDDHA BAR do Cairo, reservamos uma mesa e obviamente que, como era a última noite, a gentileza deveria ser neste dia. Chegamos no bar e realmente é lindo de morrer!! A decoração é uito legal, o ambiente bem moderno e os drinks, Ahhh, os drinks… Quando chegou o cardápio do restaurante (menu para os não-tigres) o susto e a expressão de pavor na cara delas foi impagável!!! Era muito caro!!! Tudo era muito caro!!! Mas gaúcho que se preza vai até o fim!!!! Escolhemos o prato (mais caro) e elas pagaram a conta sem reclamar! Nós até tentamos (sem muito esforço obviamente) fazê-las desistir, mas foi em vão! Lá se foram as duas armadas com seus cartões de crédito infalíveis!!!  Mas eu merecia né? Depois de aturar as duas, que até foto no banheiro do bar tiraram… Hahahaha.   

Mas a verdade é que estava muito divertido e infelizmente durou pouco. Amei receber minhas primeiras visitas no Egito e amei mais ainda o seguinte: ter a certeza que se antes nossa amizade já era boa, agora ficou muito melhor.   

Gurias, do fundo do meu coração, eu realmente espero que vocês tenham gostado da estadia. Tenham certeza que fizemos tudo com muito amor e carinho! Amo muito vocês e espero que nós possamos passar mais aventuras juntas muito em breve!   

Um beijo a todos, mas especial para vocês!   

Ahhh, se eu esqueci de alguma coisa por favor, acrescentem!!!

Quantos já passaram por aqui...

  • 417,964 acessos

del.icio.us

The best

RSS A História de uma gata

  • Memorial 19/05/2016
    Tá tudo certo. Resolvido. Jurado e sacramentado. Até que percebo uma leve alteração na respiração ao estacionar o carro e meu coração acelerar no elevador e bater na garganta quando chego na porta. Ela abre. Eu disfarço. Faço uma piada, enquanto minha mente me joga, sem dó, frames de sons, momentos e sensações. Me lembra que voltei a brotar ali .E eu penso n […]
    noreply@blogger.com (Fernanda Copatti)

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 373 outros seguidores

%d bloggers like this: