Abuso Sexual em Massa?

imagesOntem o jornal O Globo postou uma notícia sobre um abuso sexual em massa ocorrido na praça Tahirir neste domingo, durante as comemorações pela posse do novo presidente.

Mulheres sendo molestadas e violadas em praça pública em frente à uma platéia de egípcios que, por sua vez, nada fazem para impedir tais atos ou ainda participam dos mesmos.

Me parei a pensar porque este tipo de barbárie acontece ainda neste país (e em outros também) nos tempos de hoje. Volto a chegar à uma básica conclusão: Quando um povo é privado de sua sexualidade, seja por questões culturais ou por questões religiosas, coisas desta natureza acabam acontecendo.

Os jovens egípcios, sem ter acesso ao sexo, por proibições óbvias de sua cultura/religião, aproveitam-se de momentos como esses, comemorações em massa, para satisfazer suas curiosidades. As mulheres e meninas acabam sendo vítimas de seu próprio povo. Pois estes jovens acham-se no direito de explorar estas mulheres, já que elas deviam estar em casa e não ali comemorando um marco na história de seu país, pois obviamente, elas não tem este direito.

Hoje pela manhã estava assistindo à uma entrevista na CNN, onde uma ativista feminista egípcia contava como havia sido agredida, violentada e torturada durante a comemoração de dois anos da Revolução no ano passado, na mesma praça conhecida. Ela contou que os mesmos homens que  à levavam para a ambulância também à violavam e abusavam dela, mesmo prestando “socorro”. Lá estava ela, inconsciente e mesmo assim, sofrendo graves ferimentos sexuais que a deixaram por dias internada no hospital.

Não sou defensora da promiscuidade e respeito àqueles que desejam se guardar para o matrimônio. Mas não também não concordo que aqueles que preferem usufruir dos prazeres sexuais antes do casamento, devam ser julgados ou excluídos, coisa que ocorre no Egito (e demais países árabes).

As mulheres egípcias não tem direito sobre seus corpos. Elas não podem ter relações antes do casamento, muitas vezes arranjado, porque não serão aceitas por homem algum. Mas esta tudo certo ser estuprada em praça pública. Isso pode né. Os meninos, por sua vez,  não podem saciar sua explosão de hormônios, naturais da juventude porque não existem meninas que possam “ajudá-los”, pois isso é Haram. Tenho comigo que se o medo da punição para quem pratica sexo antes do casamento, seja ela divina ou humana não fosse tão certo para estes jovens, o Egito seria menos violento neste sentido.

Senhores, não estamos falando de casos isolados. Mais de 15 jovens deram baixas em hospitais neste mesmo domingo, vítimas de abusos. O que seria isso então??? Azar??? Uma coincidência??? Ou seria um retrato da sociedade egípcia atual, onde os homens estão desesperados por uma liberdade sexual que à eles é negada por uma exigência, não se iludam meus amigos, pura e simplesmente religiosa.

Agora vem aquela parte chata, onde os defensores de plantão dizem: Mas no Brasil também acontecem estupros e blá blá blá…

Ok, agora me contem um caso de estupro que ocorreu durante as reivindicações no Brasil? O que ocorreu foi muito vandalismo, roubo, depredação de patrimônio e muita gente machucada, agora estupros??? Quem???? Quantos???

Os casos de estupro (absurdos por sua natureza) que ocorrem no Brasil são isolados e o mais importante, PUNÍVEIS POR LEI ESPECÍFICA. Mesmo que ainda ocorram em grande quantidade em algumas regiões, não é uma questão cultural ou religiosa. Não vou entrar em detalhes, mas na maioria destes casos, a violência sexual é doméstica.

Obviamente que o Alcorão não permite o estupro, ou ainda que a religião islâmica apoie essa violência, mas suas imposições contra a liberdade sexual, que não é mais cabível aos dias de hoje, levam a estas consequências. Sim, quase nenhuma religião permite o sexo antes do matrimônio, mas quantas meninas católicas, evangélicas, etc. você conhece, que deixaram de se casar por não serem mais virgens? Alguma punição para elas?

No caso do Egito, o atual presidente exigiu que as NOVAS LEIS contra violência sexual sejam colocadas em práticas. Isso mesmo, novas. Não existiam leis específicas para este tipo de crime antes no país. Porque não era preciso? Não meus queridos, apenas porque a violência não era divulgada!!!

O que mais me chocou na reportagem da CNN foi a entrevista realizada com meninos nas ruas do Cairo, indagando sobre a violência sexual ocorrida. As respostas me surpreendem (ou não):

“Se a mulher sai de casa sem estar coberta é porque ela quer que a gente pegue ela”

“Quando a mulher não usa a burca, ela permite os homens a tocar nela”

“Se a mulher estivesse coberta eu não tocaria nela”

E por aí vai…

Agora o melhor disso é que todas as meninas internadas naquele dia, vítimas da violência sexual na praça,  estava usando o véu, cobrindo seus cabelos e com roupas discretas. O que prova mais uma vez, que basta ser mulher!

Aqui está um dos links que contam o ocorrido inclusive com um videozinho:

http://oglobo.globo.com/mundo/video-leva-prisao-de-sete-por-assedio-jovem-na-posse-de-sisi-12787406

Abraços

Andréia Feijó

 

1 Comentário (+add yours?)

  1. MAX
    Jun 14, 2014 @ 12:12:40

    Nossa que triste relato, revoltante também, temos que fazer algo a respeito dessa injustiça social contra as mulheres, realmente esta cultura religiosa retrógrada só faz o mal se propagar e precisa ser discutida com o objetivo de encontrar novos caminhos que façam cessar essa distorção do que de fato deve ser a humanidade, afinal agressores e vítimas acabam lesando suas vidas com marcas profundas do desamor.

    Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Quantos já passaram por aqui...

  • 336,119 acessos

del.icio.us

The best

RSS A História de uma gata

  • Memorial 19/05/2016
    Tá tudo certo. Resolvido. Jurado e sacramentado. Até que percebo uma leve alteração na respiração ao estacionar o carro e meu coração acelerar no elevador e bater na garganta quando chego na porta. Ela abre. Eu disfarço. Faço uma piada, enquanto minha mente me joga, sem dó, frames de sons, momentos e sensações. Me lembra que voltei a brotar ali .E eu penso n […]
    noreply@blogger.com (Fernanda Copatti)

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 354 outros seguidores

%d bloggers like this: