TÁ PENSANDO QUE É MOLEZA?

 

Palavra do dia:

Tudo bem? : Kulo Taman?

***********************************************************************************************************************       

Hoje resolvi esclarecer algumas dúvidas ou até mesmo pensamentos que grande parte das pessoas tem com relação à vida dos expatriados. Muitos de vocês devem pensar que aqueles que têm a oportunidade de morar fora, são em sua maioria privilegiados. Certamente eu concordaria com esta teoria se eu morasse na Europa ou na América do Norte, mas por aqui meus queridos, o buraco é mais embaixo. Não que o Egito seja ruim, nada disso. Mas quando sua cultura é virada de cabeça para baixo, certamente a sua vida também é.        

No Brasil eu tinha uma vida cheia. Trabalhava e amava meu trabalho, convivia com amigos queridos e tinha a minha família sempre por perto. Aqui no Egito as coisas mudaram muito, não só para mim, mas para o Rodrigo também. Temos hoje, uma rotina completamente diferente daquela que estávamos acostumados, da qual tanto reclamávamos no Brasil. Hoje posso dizer que sei o quanto dói uma saudade. Não estou reclamando da minha vida ou de forma alguma estou infeliz, apenas estou dizendo que adaptar-se é muito difícil.        

Piscina da minha casa

  

Converso com vários amigos que vêem minhas fotos e logo dizem: “- Tá passando mal heim?”.  Não, não estou! Passo muito bem na verdade. Tenho mar, piscina, sol e roupa lavada (mal lavada por sinal). Mas confesso que sinto falta de trabalhar e por aqui, graças à cultura, isso será mais difícil do que eu pensava. Sinto saudades dos colegas, das responsabilidades, das metas e até dos gritos do meu chefe no último dia do mês! (que ele não me leia, hehehe) Claro que é ótimo passar o dia torrando no sol, entrando nesse mar MARA e não ter hora para acordar (morram de inveja), mas agora imaginem vocês fazer isso todos os dias? Cansa meu bem! Acredite! Por vezes, passo o dia inteiro no quarto, fazendo coisas inúteis só esperando o Rodrigo chegar para ter alguém com quem conversar. Muito chato!! Ainda não estamos na nossa casa o que complica muito as coisas. Morar em hotel é muito complicado.        

Acordar tarde é conseqüência de dormir tarde! Temos uma diferença de cinco horas a mais de fuso, então, quando aí no Brasil é meio-dia, aqui são cinco da tarde. Todos os programas interessantes da TV brasileira passam aqui depois da meia-noite, o que acaba por me fazer ficar acordada na frente do computador até as três da manhã geralmente, a conseqüência disso é acordar ao meio-dia. O problema é que o Rodrigo acorda as sete da matina e obviamente, não pode me acompanhar nos horários noturnos, então quando ele chega do trabalho ao final da tarde, tá mortinho!! E eu, com a corda toda!!! Eu quero mais é conversar, dar uma volta, saber das novidades do trabalho, e ele… Dorme feito um bebê!! Basta eu tomar um banho de quinze minutos para voltar e pegar ele ressonando!! É a hora do apagão!!! Ele até que tenta se manter acordado, mas é mais forte do que ele. Não preciso dizer que isso já foi motivo de váriaaassss discussões né!        

– Não acredito que tu já tá dormindo???  
– Não, Não, só estava descansando os olhos…  
– E esse barulho era o motor de um avião pousando aqui no quarto então???  
 
 

O Palmeira Beach Resort

  

 

O Rodrigo trabalha com exportação, isso significa viagens!!! Ótimo né? Só se for para ele!! Eu tenho que ficar aqui, sozinha e me bastando. Ficar no hotel durante o dia, sabendo que a noite vai chegar o seu amor é uma coisa, agora, quando você sabe que não vai chegar é o desespero total. Na verdade isso ocorre (mais uma vez…) porque ainda não estamos devidamente instalados em nossa casa e longe da capital, acredito que após essa fase, as viagens não sejam tão penosas porque ao menos terei mais atividades (sim, eu vou limpar a casa, cozinhar, passar, etc… Pode parar de rir agora!). Por enquanto meus queridos é a monotonia geral… Isso também é um problema para ele, pois fica com o coração na mão sabendo que eu não estou feliz. Acreditem ou não, a parceria do casal, quando se está longe de tudo e de todos é fundamental. Essa é sem dúvida a parte boa da história. A vida de expatriado nos une muito! Somos extremamente dependentes e parceiros em tudo. A relação se torna mais saudável e estável do que nunca, o que em nosso país, nem sempre funcionaria assim.       

Outro aspecto problemático são as coisas do dia-a-dia. Sabe aquela banca de frutas que você adora? Aquele barzinho que você freqüenta? Aquela costureira de mão cheia? Senta e espera!! Nós simplesmente não temos nada disso por aqui. Não conhecemos nada nem ninguém ainda. Isso é bastante complicado. Pensem comigo… Quem me conhece sabe que sou chata para coisas relacionadas ao meu cabelo e basicamente sempre fui auto-suficiente, mas quando se trata de cortar… Que saudades do “Beto”!! Adivinha quem cortou o meu cabelo? (CLARO que não foi o Rodrigo, estão malucos?) Foi euzinha!!! Yes!!! E até que deu certo sabe? Não posso dizer o mesmo com relação ao cabelo do Ro… Compramos uma maquina de corte e estava indo tudo muito bem até eu utilizar um número errado na lateral do cabelo dele… Não preciso dizer que deixei um buraco gigante na cabecinha dele… Não, não deu para consertar, mas me garantiu risadas histéricas por alguns dias. Na hora eu quase passei mal de tanto rir e ele com aquela cara de paisagem… Logo em seguida a cara se transformou em algo parecido com ódio mortal… O pior é que era véspera de uma reunião importante. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA       

Buraquinho básico!

– Amor, usa teu ângulo esquerdo. Sempre te achei melhor de perfil mesmo!!       

Claro que apesar de todas as dificuldades tem sempre um lado bom. Eu arriscaria dizer até que é um lado MARAVILOSO. Meus amigos, o Egito está no topo da África, apenas a algumas horas dos melhores lugares da Europa e da Asia. As passagens aéreas são de graça quando comparadas aos preços do Brasil, temos muitos feriados religiosos por aqui e eu, eu tenho MUITO tempo livre!!! Hahahahahaha. Eu estou “amando muito tudo isso.” Já conheci lugares que nem em sonho havia planejado e certamente pretendo conhecer muitos mais. A história deste país também é fantástica! Estamos no berço da civilização e aqui estão muitas das respostas que explicam a nossa atual sociedade. Isso é muito emocionante, acreditem! Você se deparar com monumentos de mais de cinco mil anos, é algo surreal! Estou aproveitando cada momento como se fosse o último.       

Quando se mora em um país tão diferente, a cultura acaba sendo um ponto complicado. Como se adaptar? De que forma ser aceito? Estamos em um país islâmico onde muitas das coisas mais simples para nós, definitivamente não são aceitas por eles. Biquíni por exemplo. Não se pode usar em qualquer praia ou piscina. Você pode ser vítima der um constrangimento bem sério. Tomar uma cervejinha na sacada do seu prédio. Se prepara que lá vem gritaria dos vizinhos te amaldiçoando. Acordar às quatro horas da manhã ao som de uma mesquita que resolveram construir ao lado da sua janela também é sensacional. Não poder usar roupas curtas ou cavadas numa temperatura de quarenta graus é extremante emagrecedor e finalmente, ver o mundo parar cinco vezes por dia por causa da reza muçulmana, bem na hora que você quer pagar a conta NÃO TEM PREÇO!! Mas aos poucos você se habitua. A mente precisa estar aberta e não adianta se rebelar. O melhor é ficar na sua e viver discretamente. Por isso preciso urgentemente do meu espaço!        

Outro fato que me alegra muito é o clima, sério mesmo! Particularmente eu detesto chuva e aqui nunca chove!! Sempre calor, mesmo no inverno a temperatura é extremamente agradável. Tá certo que no verão vai ser insuportável, mas mesmo assim… O mar é perfeito, o sol castigante e só falta mesmo uma Skol bem gelada!! Sonho meu… Falta também o feijão, a costela, a caipirinha, a picanha, a farinha… Ihhh!! Falta muito…        

Sinto falta dos churrascos de domingo na casa do meu pai e dos jantares regados à caipirinha com minha mãe. Sinto falta do meu irmão caçula gritando no meu ouvido e do meu afilhado agarrando o meu pescoço. Queria ver minha sobrinha crescendo e os cãezinhos novos que moram na minha casa. Tenho saudades da minha irmã sempre cheia de histórias, opiniões e de piadinhas sem graça, do meu cunhado sempre dono da razão, principalmente depois da quinta cerveja. Sinto falta de minha avó e de seu tempero inigualável, dos meus tios que mesmo distantes estão sempre tão presentes. Queria abraçar a minha melhor amiga e meu novo afilhado tão forte que me faltariam forças. Queria rever meus amigos e dizer como eles são importantes para mim. Sentar-me na mesa da casa da minha sogra e bater papo furado, comendo pãozinho torrado com aquele patê maravilhoso que só ela sabe fazer. Discutir sobre todos os assuntos nos almoços na casa dos tios de Caxias e principalmente sinto falta do meu Brasil que, apesar do todos os problemas, será sempre o meu lar!        

Beijo à todos        

 

     

BEM VINDO À “SUÍÇA”

  

Palavras do Maridex Rodrigo

Prometo tentar não deixar o nível do blog cair com meu comentário, mas achei que a experiência da minha última viagem deveria ser dividida. 

Temos alguns contatos em Israel que estão interessados em nossos produtos, então organizei uma visita de 04 dias.   

Todos sabem das inúmeras divergências entre Israel e seus vizinhos basicamente pelo tratamento dado aos Palestinos que dividem esta área fazem muitos anos. 

Bom, não vou entrar em discussões sobre quem tem razão (mesmo por que ninguém tem) pois, cada um tem uma forma de ver as coisas, mas o que é engraçado nesta relação, é que alguns países vizinhos mais moderados (moderados em relação ao conflito) querem ter relação comercial com Israel mas não querem que ninguém saiba disso. Nesta lista está o Egito, a Jordânia, Qatar e até mesmo a fechadíssima Arábia Saudita. Pois entre os países muçulmanos o bonito é condenar Israel e não apoiá-lo. 

Bem Vindo à "Suíça"

 

Por exemplo, nos web sites das empresas aéreas, nenhuma mostra vôos para Tel Aviv, mas via agencias de turismo pode-se comprar tickets de uma ou outra companhia. No aeroporto o vôo não indica o portão de embarque (medida de segurança) e também não indica qual companhia fará o vôo (ninguém quer se comprometer). Vim via Amã na Jordânia e de lá peguei um táxi até a fronteira com Israel. 

Chegando lá nosso cliente contratou um serviço VIP para que não ficássemos muito tempo esperando os procedimentos normais e do lado Jordaniano não levamos mais do que 5 minutos para sermos liberados. Não sem antes aquele velho comentário: 

Exército Feminino Israelense

 

 – Brasileiro!
– Sim, Brasileiro.
– Ah, futebol, Ronaldo, Romário, Pelé, vamos ganhar o Mundial!

 Sempre a mesma coisa… 

 Ok, chegando ao lado israelense a coisa muda. 

Para minha surpresa, todos os policiais da imigração eram mulheres, ou melhor, mulheres com idade entre 20 a 30 anos de todos os tipos, ruivas, louras e morenas, todas muito bonitas, entretanto bem sérias. 

 – Boa tarde! Passaporte?
– Brasileiro?
– Sim.
– Adoro as novelas.
– Ah é. Qual?
– Todas. A melhor é da Jade.
– Jade? Ah, aquela da Juliana Paes? Sobre a Índia?
– Não! Aquela dos gêmeos, um bom e um mal… 
– Olha, sobre futebol te respondo qualquer coisa, mas novela, vai ser difícil.
– Ah legal….

 

 Agora a coisa fica séria: 

 – Já estiveste em países árabes antes?
– Sim.
– Ok, vou pedir em qual pais o senhor esteve e o senhor responde sim ou não? Ok?
– Ok.
– Argélia?
– Sim.
– Iraque?
– Sim.
– Arábia Saudita?
– Sim.

 Neste momento a menina fez uma cara de desagrado, e informou a menina do serviço VIP que me acompanhava.  – Acho que tenho mais perguntas e o assunto vai demorar

 – Qual o motivo da sua visita a estes países?
 – Sou encarregado do departamento de exportação de minha empresa e estes mercados são onde estão meus clientes, moro no Egito e visito regularmente estes lugares.
 – Hum, sei (sem muita empolgação)
– Vou continuar então com a lista?
– Iêmen?
– Sim.

Putz, nesta altura pela cara dela, pensei:  Como é que um cara que esteve no Iêmen quer entrar em Israel? Com uma cara de desconfiada ela seguiu a lista e aí a coisa começou a melhorar para meu lado. 

 

Mesquita de Al Aqsa - Jerusalém

 

– Irã. 

– Não.
– Síria?
– Não (mal ela sabia que em duas semanas estarei lá)
– Líbano.
– Não.

 Bom, ahi ela respirou aliviada, tinha dito três vezes não, então disse ok, bem vindo a Israel, aproveite sua estadia. 

– Você quer seu passaporte com carimbo ou sem carimbo?
– Sem carimbo, por favor? Caso contrário serei demitido.

Se você tem seu passaporte com carimbo de Israel não pode entrar em países com os quais as relações não são oficiais, ou seja, você não poderá entrar em 90% dos países árabes, o que para mim seria um desastre. 

Ufa, pensei. 

Ao passar o portão de segurança já com meu passaporte liberado e sem carimbo, recebo as costumeiras mensagens no celular: “ Bem vindo à … A Claro está com vocês no … , se seu telefone esta sincronizado podes ler seus emails, etc.” 

Só que para minha surpresa minha mensagem, dizia: “Bem vindo a SUIÇA”. Peraí? Suíça? A cinco minutos atrás estava na Jordânia e agora estou na Suíça? 

Igreja do Santo Sepulcro – Belém

Na verdade isso é uma forma de não comprometer clientes que estiveram em Israel, mas não querem admitir isso, mais ou menos o mesmo pensamento de não informar os vôos no site, ou mesmo que companhia aérea faz vôo  para este país. 

Israel é um país pequeno, todas as cidades ficam perto umas das outras e as mais longes ficam no máximo a 100 quilômetros. Além de Tel Aviv, estive em Nazareth, Bet Lehen (conhecemos como Belém, onde nasceu Jesus e fica em território Palestino) e Jerusalém a cidade sagrada para os muçulmanos, cristãos e judeus. 

Confesso que é triste ver um lugar de tamanha importância histórica, cercada de conflitos e brigas, mas também devo confessar que nada disso tira a beleza incomum do lugar. 

Em resumo, a “Suíça” é linda, impressionantemente linda, guarde grana, passe uns dias no Cairo conosco e não perca a chance de dar um pulinho lá. 

Não espere chocolates, canivetes e relógios, isso é com a outra Suíça, muito mais sem graça que esta aqui. 

Abraços à todos. 

Rodrigo. 

 

QUER UMA CARONA?

 

Palavra do dia:

Trânsito: Muruur

*****************************************************************************************************************************  

Hoje vou “tentar” explicar um pouco sobre o trânsito aqui no Egitão. Tentei fazer um vídeo, mas confesso que fico tão nervosa no momento da gravação, que geralmente não consigo filmar nada. Você apenas iria ver imagens tremidas e ouvir coisas do tipo: – Ai Meu Deus!! – Pára! Páraaaa!! -Freiaaaa!!  – F.D.P. – #@&%!!!     

Porque?? Peraí que te conto…   

Eu posso dizer que já vivi algumas grandes emoções em minha vida, mas quase nenhuma delas compara-se ao transito no Cairo. Vocês não fazem a menor idéia do horror que é isso aqui. Simplesmente não existem regras, leis ou sinalização. Apenas instinto, buzina e coragem colega!!!! Coragem!!!   

A primeira vez que fui submetida ao real trânsito egípcio, era recém chegada ao país e estava retornando da minha primeira visita às Pirâmides, portanto, me encontrava em um estado de alegria e paz surreal. Este momento logo teve um fim quando decidimos atravessar a cidade para ir ao Shopping Center. Resolvi sentar no banco da frente para aproveitar a ocasião e fazer um tour pela cidade quando… Senhorrrr!!!!  Palpitações, suor, gritos ensurdecedores e medo da morte tomaram conta do meu ser. Sabe quando você finalmente resolve andar naquela montanha-russa? Então ela começa subir aquela ladeira gigante e você sabe que não tem mais volta? Então aquela descida fatídica quase faz seu coração saltar pela boca? Horrível não é? Multiplica agora essa sensação por aproximadamente duas horas…   

Proibido Buzinar!

Por aqui não existem faixas de trânsito separando as filas de carros. Ou melhor, elas até que estão lá, mas se você tentar guiar entre as linhas paralelas com certeza será motivo de piada entre os motoristas. O legal mesmo é andar sobre elas. Para dirigir no Cairo você praticamente não precisa de retrovisores, apenas use o seu instinto e toca ficha para a esquerda (ou não). Nada de pisca-alerta seu bobo! Buzine! Use a buzina para tudo, mas para tudo mesmo!! Existem até mesmo códigos sonoros entre os motoristas. Se você quer agradecer buzine duas vezes com um som rápido e curto, se você quer xingar alguém, emita três sons longos dois curtos e um longo respectivamente, se você quer avisar que esta passando, emita dez sons médios e rápidos e por assim vai…   

Outra forma de comunicação são as luzes. Muita luz! No Brasil nós também costumamos usar os faróis para alertar alguém ou iluminar algo, mas por aqui isso mais se parece mais com virada de ano em Copacabana. Você esta na estrada e do nada começa aquele monte de carros dando sinais de luz. Para que? Para simplesmente avisar que também estão na estrada com você, porque acredito que eles partem do pressuposto que somos todos cegos.  Serve também para pedir ao outro motorista que não atravesse a estrada enquanto estão passando, partindo da idéia que todos são suicidas e certamente vão se jogar na frente do carro. Pode servir para informar que estão ultrapassando, seja pela esquerda ou pela direita, e pedindo a você que, por favor, não troque de pista subitamente, ao menos dê um sinal de luz. Se você for educado, deverá apagar todos os faróis quando houver outro carro na sua frente durante o trajeto, certamente as luzes dele já bastam para iluminar a estrada desértica!   

Se você está dirigindo em uma estrada de duas pistas e se deparar com dois caminhões, um em cada uma delas, não se acanhe! Passe pelo meio. Certamente eles perceberão que você esta ali e vão dar uma chegadinha para o lado! Caso não seja possível, utilize o acostamento, masnão se preocupe, pois ao seu lado é só areia mesmo. (Ahammm!!)   

Cruzamento Perigoso!

Esperar para que? Paciência definitivamente não é uma qualidade egípcia. Os motoristas não esperam simplesmente por nada. Se você está em um pedágio aguardando sua vez, a probabilidade de alguém furar a  fila na sua frente é de provavelmente 99%. Nas ruas estreitas também é normal alguém não esperar pela sua vez de passar. Eles passam ao mesmo tempo, independente do espaço, só para ver sé dá eu acho. Dia desses estava em uma das ruelas do Cairo quando me deparei com duas caminhonetes presas lado a lado. A solução, após 10 minutos de conversa foi arrastar a lataria até se libertarem. Cada um seguiu seu caminho e Inchalá!! Se alguém atravessar subitamente a sua frente em uma rua ou junção, não adianta gritar. O que você vai ouvir é algo do tipo: – O carro é meu e eu faço o que eu quiser com ele!!! O mesmo acontece se alguém bater em você. A resposta será: – Welcome to Cairo. Toca em frente que não foi nada. Por vezes eles realmente enfurecem e aí meu bem, pode parar tudo que é briga, gritaria, confusão. A turma do chega disso (cerca de 100 pessoas) entra em ação e finalmente, cada um que pague o seu! Tanta saliva para nada!!   

Quando existe algum tipo de engarrafamento, existem provavelmente duas possibilidades:   

Primeira: Existe um retorno a poucos metros de você. Ninguém aqui se mantém na faixa de retorno, pelo contrário, se você quiser dobrar a esquerda, mantenha-se na direita (não esqueça que não existe sinalização ou recuos.) É muito mais rápido atravessar a pista, parar o trânsito e então fazer a volta, do que aguardar na fila atrás dos outros carros. Dar pisca para quê? Use as mãos e a sua maravilhosa buzina. Não existem muitas rotatórias, mas quando há alguma, ninguém tem a preferência mesmo!   

Segunda: Existe uma barreira de fiscalização logo em frente. Os policiais simplesmente param os carros no meio da avenida para pedir os documentos. Usar cones de sinalização e utilizar a faixa do canto como acostamento nem pensar. Legal é apontar e parar o carro na hora que der vontade mesmo. Quem estiver atrás que desvie ou espere. O policial te parou? Nada que dez pounds (cerca de três Reais) não resolvam. Ele te irritou? Passa por cima! No máximo vai te custar uma multa mesmo!   

Vai cortando que você chega lá!

Outro fato importante são os semáforos. Eles NÃO são reais!!! Se estão presentes, geralmente estão piscando amarelo ou estão estragados.  Aqui é no famoso “vai que dá”. Avenidas são cruzadas aleatoriamente, pedestres atravessam as ruas na base do “fininho”, pois o que é que tem demais quebrar um dedinho do pé ou dois né? Conversão à esquerda ou à direita só depende de você. Faixa de segurança? Ahhhh!!! Aquelas listrinhas brancas no chão!! Hãmmm. Não, não me lembro não!!   

As crianças por aqui têm prioridade. Todas andam no banco da frente. Os bebês no colo das mães e os mais velhos podem dividir o banco em até três crianças. Mais do que isso pode se tornar muito perigoso. Cinto? Utilizar sempre que possível ou existente. De preferência, opte por falar ao celular sempre que possível e não se esqueça que fazer uma “boquinha” durante sua jornada é essencial!   

Não se preocupe caso você se perder. Sempre haverá um egípcio simpático para lhe dar informações. Em qualquer lugar, a qualquer hora ou a qualquer velocidade. Tente procurar por informações nas esquinas e nos cruzamentos, ou então, pergunte ao taxista. Os taxistas sempre sabem o caminho. Não precisa parar, apenas encoste o máximo que você puder no carro dele e peça pela informação desejada. Se precisar de fogo para o cigarro é só pedir que tá na mão.   

Se caso você precisar parar e descer do carro não se estresse procurando estacionamento. Apenas pare! Fila dupla não é muito comum, mas fila tripla sim, então não se acanhe. As pessoas vão compreender você. No máximo vai ouvir uma buzinadinha para não perder o costume, mas provavelmente você nem vai perceber diante do mar de buzinas ao seu redor. Mas afinal, quem nunca precisou sacar dinheiro ou comprar pão no meio do caminho?   

Errou a entrada na Marginal? Tadinho!!! Não se preocupe. Liga o pisca-alerta, engata  a marcha-ré e volta. É muito longe da entrada? Tá bom!!! Pode ir pela contra-mão mesmo. Mas não se esqueça de desligar os faróis para não perturbar os outros motoristas.   

Beijo à Todos   

Previous Older Entries

Quantos já passaram por aqui...

  • 394,957 acessos

del.icio.us

The best

RSS A História de uma gata

  • Memorial 19/05/2016
    Tá tudo certo. Resolvido. Jurado e sacramentado. Até que percebo uma leve alteração na respiração ao estacionar o carro e meu coração acelerar no elevador e bater na garganta quando chego na porta. Ela abre. Eu disfarço. Faço uma piada, enquanto minha mente me joga, sem dó, frames de sons, momentos e sensações. Me lembra que voltei a brotar ali .E eu penso n […]
    noreply@blogger.com (Fernanda Copatti)

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 367 outros seguidores

%d bloggers like this: