CURIOSO??????

Gente, quem estiver curioso sobre algum assunto em particular é só me perguntar, ou via e-mail ou via comentário ok?

Anúncios

POLIGAMIA: UMA QUESTÃO DE RESPEITO!

 

Palavra do dia:

Haram: Pecado

**************************************************************************************************************************

  

“Se vós temeis não serdes capazes de conviver justamente com os órfãos, casai com mulheres de sua escolha, 2 ou 3 ou 4 vezes; mas se temerdes que não sereis capazes de conviver justamente com elas, então casai somente com uma”

Alcorão (4:13). 

 

 

Desde o dia da festinha de aniversário, aquela menina que encontrei casada com um homem que possuía outra esposa não me sai da cabeça, lembra? A questão da poligamia ficou pairando na minha em meus pensamentos e então resolvi ir atrás de mais informações e esclarecer a questão! Vou contar a vocês o que eu descobri.

Quero fazer uma pausa para dizer que aqui no Egito, isso não é muito comum. As mulheres já não estão mais aceitando este tipo de matrimônio e exigem, até mesmo antes de casarem-se, ser a única esposa. Mesmo assim ainda encontramos alguns casos.

 No mundo islâmico e de acordo com o Alcorão, a poligamia é sim permitida. Um homem muçulmano pode casar-se com até quatro mulheres e ainda estar de acordo com a lei. Para que ele possa fazer isso existem algumas regrinhas básicas:

1)      A primeira esposa precisa estar de acordo com o casamento;
2)      O marido precisa ter condições financeiras suficientes para manter as famílias;
3)      Cada esposa precisa ter sua própria casa;
4)      O tempo gasto com uma esposa dever ser igual ao tempo gasto com a outra;
5)      Os presentes, viagens e demais luxos devem ser iguais para todas as esposas.

 Agora vamos às justificativas.

Poligamia

 De acordo com os “especialistas”, a poligamia pode sim, ser muito vantajosa. O que estes não explicam é que a maior parte destas vantagens se aplica ao século XVII apenas. A poligamia era muito comum nos séculos passados, quando as guerras eram mais freqüentes e longas. As mulheres perdiam seus maridos e ficavam totalmente desamparadas. Qual a saída? Casar-se com o irmão do marido ou com o marido da irmã, assim elas ficavam amparadas e não morriam de fome. Hoje em dia isso definitivamente não se aplica mais.  Mesmo ainda existindo muitas guerras por estes lados, a quantidade de baixas já não é mais tão absurda assim para justificar este tipo de matrimônio. No caso dos homens-bomba, antes do ato de morte ser realizado, o mandante terrorista geralmente promete não desamparar a família do corajoso soldado suicida. Ele morre tranqüilo, tranqüilo. (humor negro esse o meu!!)

 Outra justificativa da poligamia é a pobreza. Os homens, como são muito bonzinhos e se preocupam tanto com as mulheres, decidem se casar com elas para tirá-las da miséria. Quanta gentileza heim? Dar emprego para elas para que? Isso sim seria muita crueldade. Até porque eu quase esqueci que mulher (muçulmana) nasceu para procriar e cozinhar. Desculpa minha ignorância tah? Claro que algumas são mais “saidinhas” e decidem por trabalhar, mas a grande parte delas desiste após o nascimento do primeiro filho.

 Uma jornalista saudita escreveu um artigo chamado “Eu e meus quatro maridos”, onde ela questiona o porquê da poligamia ser válida somente para homens. Não preciso dizer que causou uma polêmica absurda entre os países muçulmanos. Tinha gente querendo que ela fosse punida, presa e sei lá mais o que. O crime? Liberdade de Expressão!!! Mas isso me fez pensar: Se a preocupação é com a situação financeira das mulheres, não seria muito mais inteligente deixá-las se casar com quatro homens? Imagina quantas pensões alimentícias? Ela ficaria rica! Mas obviamente, para isso eles também têm uma explicação.

 Mulher não tem a mesma natureza selvagem e sexual que tem os homens (hahaha). É de natureza masculina ser poligâmico. As mulheres não precisam de tanto sexo. Pra que né? Deixa isso para quem sabe! (Agora sim: hahahahahaha) E outra, se as mulheres casarem-se com diferentes homens, como saber de quem são os filhos? Controle de natalidade e DNA não são opções. Mas não é tudo uma família só? Tão lindos e unidos. Filho meu é filho nosso meu bem!!!

 Devido à libido masculina ser “tão grande” e as mulheres muçulmanas serem proibidas de ter relações durante o período menstrual, a poligamia também se faz necessária nesse momento.  Coitadinhos dos homens!! Esperar sete dias para suprir suas necessidades másculas é pedir demais. As mulheres nem sentem falta disso não!! E no período final da gravidez? Fica muito difícil para a esposa ter relações, então nada mais justo do que o maridão se casar com a gostosinha magrinha, sobrinha do irmão, que pobrezinha, deve estar louca para casar com ele (ironia). Quando se é a segunda esposa, deve-se respeitar (obedecer) a primeira. Imagina se ela é uma “naja”? Deve ser bem divertido!

 Casar-se com várias mulheres também evita doenças sexuais, já que são todos muito fiéis. Evita a prostituição, como se isso estivesse relacionado ao sexo e não ao dinheiro e principalmente, evita as mães solteiras (esta aí a solução para o Brasil). Casar-se quatro vezes é muito mais honrado do que traição e infidelidade. O negócio é botar tudo no papel mesmo! Todas as quatro esposas devidamente registradas. Chega de hipocrisia ocidental onde os homens traem suas esposas indiscriminadamente. Só que estes falados especialistas se esquecem de um pequeno detalhe: As mulheres também podem trair meus queridos!! Não estou dizendo que isso é certo e que é mais bonito trair do que casar com quatro pessoas. Para mim, as duas situações se equivalem: são imorais! Mas, eu penso que pelo menos, nós mulheres não-muçulmanas, temos os direitos iguais aos dos homens.  Podemos escolher entre a traição ou o divórcio mesmo sendo o primeiro uma forma errada de escolha, o casamento associado ao trabalho ou os serviços domésticos, a quantidade de filhos e principalmente, criar apenas os “meus” filhos e não os filhos das minhas “parceiras” em comunidade!

 Resumindo, a poligamia, para o islã, é sim uma forma de respeito à mulher. Respeito a sua condição de incapacidade. Algumas mulheres aceitam isso como natural. Elas realmente se discriminam a esse ponto. São totalmente dependentes do sexo masculino e são infelizes quando não realizam o sonho do matrimônio, seja ele da forma que for.  Existem relatos de mulheres africanas que preferem manter-se casadas, aceitar outras esposas, a divorciar-se. Claro! Divórcio por aqui é sinônimo de pecado. Quando você não tem acesso ao trabalho, aos estudos, à dignidade, sua opção fica limitada a aceitação! Eu aceito ser substituída. Eu aceito ser submetida. Eu aceito compartilhar minha vida com uma estranha. Eu simplesmente aceito!! A ignorância feminina não é uma opção, é um imposição!!

  

Beijo à todos

HOJE VAI SER UMA FESTA!!!

Palavra do dia:

Água: Miyaah

********************************************************************************************************************** 

Uma amiguinha minha, garçonete do restaurante, me convidou na semana passada para a festa de aniversário de seu filho de seis anos que ocorreria nesta quarta-feira. Como ela sabia que eu havia visitado a outra menina aqui do hotel, fiquei sem coragem de negar o convite e prometi que compareceria. Até o dia da festa chegar ela me ligou umas seis vezes para confirmar minha presença. Acho que ter amigos estrangeiros é um certo status por aqui. Existe uma certa “disputinha” para saber quem é a mais minha amiga aqui no Resort. Muito bom para o meu ego hehehehe.

Festinha de aniversário é sempre muito legal né? Um monte de salgadinhos, docinhos, bolo e uma cervejinha beeeemmm gelada… Bom, Não preciso dizer que aqui não é exatamente assim, principalmente a parte da cerveja.

Combinei com a minha amiguinha (aquela que eu visitei) de irmos juntas, pois não queria chegar sozinha na casa da moça. Chegamos por volta das sete horas da noite e já estavam presentes algumas pessoas da família. Logo que cheguei entreguei o meu presente ao menino, emocionada com a frase que acabava de ter aprendido: Collessana Wentha Tayb (que essa data se repita por muitos anos). Feliz aniversário é muito difícil de pronunciar hehehe.

 As moças todas cobertas com o véu, com exceção da mãe do menino (pois estava entre família), que estava toda arrumada para receber os convidados. A família foi bastante receptiva e obviamente curiosa pela minha presença ali. Havia apenas uma moça de burca que não se manifestou e os irmãos e cunhados ficaram pouco tempo junto das mulheres no mesmo ambiente. Eu estava me sentindo um E.T. a princípio, mas com o passar do tempo comecei a ficar mais à vontade. Nesta altura ocorreu uma coisa muito engraçada, o momento “cheguei” da festa: O pai do menino!! Ele estava vestindo um terno de seda PRATEADO!!! Com camisa PRATEADA!!! Gravata PRATEADA!!! Tudo PRATEADO!!! Aquilo reluzia de tal forma que eu não me contive e comecei a rir imediatamente. Minha amiga perguntou do que era que eu ria e eu inventei que estava rindo das crianças ou algo assim. Gente aquilo era muito ridículo. Vocês não fazem idéia. O mais engraçado é que eu descobri que isso é status por aqui! Ele parecia o rei da festa em seus trajes majestosos e seu cabelo entupido de gumex!!

O prédio era localizado na beira do canal de Suez com uma vista muito bonita. A sala era espaçosa cheia de móveis dourados e decoração bem egípcia (entenda-se escandalosa). Mas de uma maneira geral era um apartamento bem bom, comparado aos demais que já conheci. Fiquei ali sentadinha no sofá com aquele sorriso amarelo forçado enquanto o papo árabe rolava no ambiente. As meninas estavam colocando os pratos na mesa e nesse momento eu percebi que a única iguaria da festa era realmente o bolo. Isso mesmo, salgadinho, cachorro-quente e croquetinho nem pensar!!! O bolo era gigante e somente mais tarde eu fui entender porque do tamanho exagerado, já que havia apenas umas 10 pessoas no local. A música era ABSURDAMENTE ALTA, umas vinte versões de Feliz Aniversário em árabe e inglês. Mal se conseguia conversar na festa.

dança do ventre

Quando finalmente todos os homens se retiraram da sala e foram para outro quarto, as mulheres se revelaram… Tiraram os véus, os casacos de “Pólo-Norte” e trocaram a música para um ritmo caliente!! De repente, elas todas começam a dançar a famosa dança do ventre!!! Advinha se não me puxaram para o meio da rodinha??? Óbvio!!!! Todas começaram a me filmar e tirar fotos. Nesse momento eu pensei: – E.T. telefone minha casa!!!  Eu ali, toda desengonçada, misturando lambada com pagode!! Neste momento eu tive a certeza que eu não danço realmente nada!!! Meus queridos, aqueles mulheres são umas minhocas ambulantes!!! Elas bem que tentavam me mostrar como se fazia, mas não teve jeito. Aquilo é impossível!! Aquele quadril, balançando absurdamente acelerado. As mãos extremamente delicadas em harmonia com os ombros que simplesmente, pareciam estar descolados do pescoço porque eles se movimentavam sozinhos, eu juro! Elas nascem com esse dom. Samba é fichinha meu bem!!!

Depois de algum tempo, o pai do menino volta à sala com um milhão de porcarias de enfeites de aniversários. Sabe aquelas espuminhas de carnaval? Sabe aqueles fogos de artifícios caseiros que ficam soltando faíscas? Sabe aquele tubinho que estoura soltando um monte de fita colorida que te dá o maior susto? Sabe… O apartamento ficou uma bagunça… Era papel em cima do bolo, fumaça por toda a sala, criança chorando assustada… Uma confusão sem tamanho acompanhado de um verdadeiro show pirotécnico. Mas a verdade é que este povo é muito divertido! Criança para eles é tudo!!! Fazem qualquer coisa para agradar os filhos!

Chegada a hora do Parabéns à Você, todos pegam velas faiscantes na mão e vão para ao redor do bolo. Esse por si só já era uma vela ambulante! Nossa quanta luz!!! Achei que a casa ia pegar fogo ou pior, que certamente eu iria me queimar e pagar o mico, mas deu tudo certo. Após a cantoria o bolo começou a ser servido. Neste momento eu entendi o que eu mencionei lá em cima a respeito do tamanho do bolo. Eles não servem fatias como de costume, eles servem TIJOLOS. Para ajudar a engolir te dão um refrizinho quente! Cervejinha nem pensar!!!  Não que o bolo seja duro, mas a fatia é simplesmente enorme! Impossível de ser digerida em menos de no mínimo quatro horas. Não preciso dizer que comi menos da metade e escondi o resto na pia né! Ta loko! Foi nesse momento que não satisfeito com o pratinho que recebeu, o avô do menino vai até a mesa a fim de catar as sobras do bolo. Quase passei mal vendo o homem juntar o merengue caído na mesa suja e lamber os dedos “graciosamente”. Um nojo!!!

Logo após a hora do bolo, percebi uma tensão no ar. Alguém tinha brigado com não sei quem! Eu fiquei com aquela cara de tacho! Quando você é estranho no ninho, rapidamente pensa que o motivo da discórdia é você!!! Mas graças a Deus não era! Era com a mulher de burca que por alguma razão se sentiu ofendida com o cunhado. Descobri também que uma das moças do local tinha uma sócia de matrimonio, ou seja, o marido tinha duas esposas, ela e mais uma! Hahahahahaha. Normal por aqui!

Notei que a festa estava chegando ao fim, tipo da festa cachorro magro, come e vai embora sabe? Lentamente eu e minha amiga começamos a nos movimentar para a retirada estratégica, quando a avó do menino resolveu me puxar (literalmente) e me mostrar todas as fotos de família. Muito educadamente e concordei com tudo que ela dizia, mas na verdade eu não entendia nada de nada. Apenas captei a parte que ela disse que não gostava de uma das esposas do filho poligâmico, somente daquela que, coincidentemente estava na festa.

Bom, finalmente eu disse um Ma as-Salaamah (tchauzinho) geral e me retirei estilosamente da festinha. Saí dali e fui correndo comer um espetinho de frango. Ora. eu havia me preparado para uma festa infantil e esperava comer até passar mal, como costumeiro em aniversários. Não fui feliz!! Fui obrigada a fazer um Pit Stop né? Nem só de bolo vive o homem!!

Beijo à todos!!!

Previous Older Entries

Quantos já passaram por aqui...

  • 417,964 acessos

del.icio.us

The best

RSS A História de uma gata

  • Memorial 19/05/2016
    Tá tudo certo. Resolvido. Jurado e sacramentado. Até que percebo uma leve alteração na respiração ao estacionar o carro e meu coração acelerar no elevador e bater na garganta quando chego na porta. Ela abre. Eu disfarço. Faço uma piada, enquanto minha mente me joga, sem dó, frames de sons, momentos e sensações. Me lembra que voltei a brotar ali .E eu penso n […]
    noreply@blogger.com (Fernanda Copatti)

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 373 outros seguidores

%d bloggers like this: