UM DIA NO MUGAMA

Palavra do dia:

Esperar: yantazir

*******************************************************************************************

Como em qualquer lugar do mundo, aqui no Egito, para que você possa residir por mais de um mês é necessário que você tenha um visto específico ao seu propósito de estadia. Meu marido, como veio a trabalho, precisou de um visto de “residência com trabalho permitido”. Este visto demorou, mais ou menos, cerca de seis meses para ser liberado. Muito desse atraso é porque o pessoal que trabalha nos órgãos de Recursos Humanos Egípcios  são um tanto quanto atrapalhados (tô sendo legal) e também devido à burocracia cansativa e desorganizada do país.

O meu caso é um pouquinho mais fácil, pois não envolve trabalho, mas mesmo assim, até o mês passado eu ainda não possuía o meu visto. Estava aqui como turista temporário, ou seja, podia permanecer no país apenas por um mês. Toda vez que saia do país era uma tensão. Existe uma multa para visto quando expirado e se não fosse a minha “enorme simpatia “ para com os funcionários da imigração eu já estaria na lista negra do governo egípcio.

Toda a vez que eu saia do país com o visto vencido, acontecia mais ou menos assim:

Salaam Aleikum Senhor policial!

– Aleikun Salama! Do Brasil?

– Sim. País do futebol, sabe como eh!

O oficial se emocionava todo e começava a dar toda a escalação…

– Kaka, Ronaldinho, Roberto Carlos, etc..

– Isso mesmo!!! O senhor sabe muito heim???

Somente este diálogo e muitos sorrisos eram suficientes para o carimbo de saída e a liberação da multa. O mesmo não acontecia com o Rodrigo, que sempre acabava pagando.

Às vezes citavam o Maradona na história, que obviamente eu me obrigava a corrigir o equívoco rapidamente.

– Maradona é da %@&!@ (Argentina)

– Ah eh!!! Hehehehehe

Somente da última vez peguei um que acredito eu, não gostar muito de futebol e sem dó nem piedade me mandou pagar a multa. Depois disso decidi que não mais ficaria com o visto temporário e que enfim, faria o meu visto permanente!

Foi na primeira quinta-feira do mês de novembro, acompanhada de uma querida amiga, que resolvi me aventurar ao prédio da Receita Federal do Egito e buscar meu visto para seis meses de estadia. Naquele mesmo dia minha mãe e seu namorado chegavam do Brasil.

Chegamos ao “Mugama”, assim chamado o prédio da RF, cerca de oito horas da manhã. Tudo parecia calmo e tranqüilo. Mas eu não fazia idéia do inferno que estava por enfrentar.

O prédio em si, parece o Carandiru após o massacre. As paredes sujas, fedidas. As pessoas mais sujas ainda, comendo lanches pelos cantos. Fumando e gritando pelos corredores. Um verdadeiro nojo. A organização inexistente das filas. O descaso absurdo dos funcionários.

Primeiramente eu precisava tirar uma foto para o visto. Me dirigi a uma salinha que deveria caber umas duas pessoas apenas, mas obviamente estava cheia. Cerca de umas seis meninas tomando chá e conversando, aparentemente funcionárias do prédio, sem nenhuma disposição ao trabalho.

Tirei a foto que inacreditavelmente ficou pronta na hora, preenchi uma ficha com meus dados (inclusive religião) e me dirigi ao guichê de solicitação de vistos para turistas.

A menina que estava atrás do balcão estava pacientemente fazendo um capuccino e não se dignou nem a me dar um olhar. Esperei cerca de cinco minutos até que o ritual terminasse e ela resolvesse me atender.

– Bom dia. Gostaria de um visto de turista residente de seis meses.

Neste momento achei que ela fosse me encher de perguntas do tipo: Por quê? Qual seu motivo para ficar no país? Você é casada? Etc. Que nada!!! Ela olhou para a chefe que estava ao seu lado e apenas perguntou se brasileiro tinha algum tipo de restrição. Elas discutiram algo por uns dois minutos e então ela disse:

– Volte em duas horas para retirar seu visto no guichê 36.

Nunca foi tão fácil né??

Ahammmmm…

Fomos dar um tempinho no Mc Donald’s que ficava ali perto e passado duas horas voltamos ao prédio.

Aquilo estava um terror!!!!! Já eram onze horas da manhã e a quantidade de pessoas que estavam lá dentro lotava um estádio de futebol. O cheiro de cigarro era tanto que cheguei a sentir o câncer rindo da minha cara!!! Um verdadeiro horror!!!

Tinha gente do mundo todo lá. Se empurrando e gritando pelas salas. As crianças correndo de um lado para o outro e os guardas carregando bandejas e mais bandejas de chás para os funcionários. Claro que, fazer a segurança e a organização do local, não é tão importante quanto uma boa xícara de chá!!

Quando cheguei ao guichê 36, havia cerca de 5.456 pessoas na minha frente. Mas como assim??? Não tem ordem de inscrição? Não tem ordem de chamada? Não tem ordem alguma???? NÃOOOO!!!! As pessoas ficam todas na frente do balcão, esperando. Paradas ali, sem fila alguma. Amontoadas, umas em cima das outras.

O procedimento é mais ou menos o seguinte:

1.       Você tenta se enfiar por entre as pessoas até encontrar o canto menos fedido e com a melhor visão do guichê possível.

2.       A atendente carrancuda fica levantando a foto anexada nos documentos a uma altura que só os alemães da fila enxergam, para que então as pessoas se identifiquem.

3.       O documento é de papel, ou seja, molengo. Toda a vez que a atendente levanta a foto, o documento dobra e você não consegue ver nada.

4.       Caso você tenha sorte e reconheça sua foto, grite!!! Grite o mais alto que você puder!!! Até ser ouvido pela atendente que provavelmente já colocou seu passaporte de lado e chamou outra pessoa.

5.       Empurre as pessoas que estão na sua frente para que elas saiam e deixem você chegar ao balcão para assinar o documento.

6.       Identifique-se à atendente e implore para ela pegar seus documentos novamente.

7.       Assine o papel no espaço você conseguir.

8.       Posicione-se quase como “de quatro” no balcão, assim você não permitirá que outras pessoas te empurrem e você morra esmagado enquanto assina.

9.       Pegue seu passaporte que provavelmente foi jogado pela atendente na mesa.

10.   Agarre com força seu passaporte até você se encontrar em um local seguro.

Logicamente que meu visto ficou pronto duas horas depois do que o horário combinado. Isso que eu fui uma das primeiras a chegar. A mulher mostrava as fotos e nada da minha aparecer. Quando eu perguntei a ela se havia algum passaporte brasileiro ali ela me deu um olhar de ódio tão grande que eu nunca mais tive coragem de olhar nos olhos dela.

Enfim, com o passaporte e o visto na mão…

Não, não acabou!!! Você ainda precisa de um segundo vista que se chama “múltiplas entradas”. O primeiro só da direito a permanecer no país, mas você não pode sair dele. Para isso existe este segundo visto.

Fui para o guichê e para a minha surpresa não havia fila. Havia apenas um homem sentado na frente do balcão, preenchendo uma ficha, me impedindo de chegar até o atendimento. Pedi licença educadamente e obviamente não fui atendida. Pedi de novo agora com mais ênfase e não recebi nem um suspiro. Mais uma vez pede e nada. Até que…

– Da para você sair daí seu &@#%@

O atendente do guichê percebeu o que estava acontecendo e literalmente enxotou o cara de lá que saiu enfurecido e me chamando de nomes que eu nunca saberei o significado.  Mas Senhor!!!!!! Será o fim do mundo???? A pessoa ainda se achava na razão??

Solicitei então o meu visto “múltiplas entradas” e aproveitando que o rapaz gostou da minha pessoazinha, pedi:

– Será que ao invés de duas horas mais o senhor consegue adiantar este visto para mim? Estou aqui desde as oito da manhã e já são três da tarde! (acompanhado de uma piscadinha)

– Claro!!! Volte em UMA HORA!!!!

(Pensamento: &@#%@&@#%@&@#%@&@#%@&@#%@)

– Obrigado moço!!! Muito gentil!

Sentamos numa mureta embaixo de uma árvore e ficamos lá, esperando…

Foi quando eu ouço um miado, bem fininho de longe. Era um gatinho. Preso nas grades de uma das janelas do prédio!!!!

– Amigaaaaaaaaaaaaaaa!!!!!! Tem um gato preso aliiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!

– É mesmo Andréia. Acho que ele tah morrendo!!

– Nãooooooooooooooooooo!!!! Coitado do gatinho!!! Alguém tem que salvar ele!!! Alguém salva eleeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!!!!! (em prantos)

A grade era muito alta e não alcançávamos no gato. O miado cada vez mais fraco e eu cada vez mais desesperada.  O gato então parou de se mexer…

– Ele morreu!!!!! Ai Meu Deus!!!! Ele morreu!!! A gente deixou o gato morrer!!!!

Foi quando um rapaz inocentemente resolveu perguntar o que estava acontecendo.

– Moçoooooooooooooooo!!! Salva o gatinho por favor!!!!!!!!!! Por favoooorrrrrrrrrrr!!!

O homem nos olhou, obviamente assustado e após pensar por alguns momentos sobre a bobagem que ele fez ao nos dar ouvidos, subiu na janela e empurrou o gato livrando ele da grade. O gatinho tonto conseguiu recuperar o fôlego e saiu assustado correndo.

– Obrigado moço!!! O senhor salvou “a minha vida”! Deus irá lhe recompensar!!!

Isso já eram quatro horas da tarde quando retornei ao balcão e retirei enfim meu último visto! Desta vez foi fácil. Já estava separadinho pelo moço legal que com muito orgulho me falou:

– Viu? Eu não te falei que era SÓ mais uma hora?

-Ahammmmmmmmmmmmmmm!!!

Será que os egípcios têm uma noção de tempo diferente da minha?? Será que eles pensam que passar oito horas enfrentando uma burocracia é padrão mundial??? Tá certo que o Brasil também não tem lá suas vantagens quando se trata de papelada, mas ao menos você vai para casa e volta outro dia né?

Mas ao menos agora você já sabe os passos para ser uma “turista residente temporária” no Egitão!!! Rápido e sem complicações!!!  Em apenas 8 horas (lá esperando) você consegue!

Mas uma pergunta ainda paira no ar:

Como “turista” pode ser também “residente”???

Ah meus amigos!! Isso é coisa de Egípcio!!! Não pergunte!!!

10 comentários (+add yours?)

  1. Gomes :D
    Dez 10, 2010 @ 15:24:51

    Só faltava essa também!!!”EGY&BRA” e é porque näo está querendo falar mais sobre os mesmos |: nossa!! Drea… se ligaaaaaaaa!!!hahahahaahahhaahh a “crítica” nos ajuda a reconhecer quem fala a verdade ou näo!!:DD

    Estamos ai pro que der e vinher!!! “um beijäo!!! Hahahaha” Drea😀 vc como sempre de+++++++++++…

    Responder

  2. Maurício
    Dez 01, 2010 @ 02:53:24

    Olá, preciso tirar uma dúvida. Vou ao Egito pra fazer um intercâmbio da AIESEC, é curtinho, deve durar uns 50 dias, mas agora que vi que o visto de turismo permite que eu fique por lá só 30 dias. Ah, e a agência me disse que o visto eu tiro no aeroporto mesmo. Mas será que tem um visto no aeroporto que me permita ficar por lá nesses 50 dias? Ah, e no caso de eu pegar um visto de 30 dias e ficar 20 dias a mais, a unica punição é multa? E o preço é muito alto? A mulher da agencia sugeriu que eu pegasse um visto de múltiplas entradas no aeroporto, aí quando fechassem os 30 dias eu teria que sair do país e voltar no outro dia pra dar mais uma entrada de 30 dias. Achei meio inconveniente. Por isso vim perguntar… será que não tem uma alternativa melhor? Obrigado!

    Responder

    • Andréia Feijó
      Dez 01, 2010 @ 07:16:04

      Oi Maurício

      Minha sugestão é que vc pegue o visto de 30 dias no aeroporto quando chegar, fique os 50 dias e pague a multa na saída que dá aproximadamente R$ 50,00. Não tem nenhuma outra restrição; Se vc quiser tb pode sair do país e voltar, pegando outro visto na entrada, da mesma forma que na primeira vez. O visto de múltiplas entradas não pode ser adquirido no aeroporto e só funciona para quem tem visto de permanência.Vc também pode perder 1 dia e ir pegar os dois vistos, 6 meses e multiplas, lá no Mugama. Mas acho que para vc não é necessário.
      Qualquer dúvida grita ae!

      Responder

      • Maurício
        Dez 01, 2010 @ 10:30:33

        Oi Andréia. Bah.. muito obrigado pelas informações😛
        Pois é, tinham me dito que era melhor eu pegar o visto de 30 dias e depois renovar no Mugama, mas que ia ser um dia difícil (e eu já percebi isso pelo teu texto, haha). Alguém me disse que no Aeroporto também renovam o visto de 30 dias, se eu fico poucos dias a mais. Dá pra tentar antes de todos esse sofrimento né, haha. Muito, muito obrigado pelas informaçoões, e sucesso com o blog. Vou tentar acompanhar teus posts😀

        Responder

  3. Gi
    Nov 30, 2010 @ 13:57:16

    Que saga, hein?
    mas assim é Egito !! óbvio que no Brasil temos todo um problema com burocracia também, como aliás, vários outros paises, incluindo os de 10 mundo.
    Mas não vamos comparar o verdadeiro caos que é uma repartição pública egípcia com a brasileira, né ? hehehe… simplesmente não há comparação !!! O que é aquilo ??!

    beijos.

    Responder

  4. egitoebrasil
    Nov 29, 2010 @ 20:45:57

    oi Andrea, pelo menos desde 2007 o processo aqui pra visto permanente por casamento é bem demoradinho, não importa a nacionalidade do gringo não, a policia tem que fazer uma tal de checagem, que leva uns 3 meses pra irem na sua casa, depois vai pra julgamento em Brasilia, leva pelo menos 6 meses pra chegar a vez do processo… aí depois de aprovado, levam mais 180 dias pra emitir o RNE… o meu demorou 2 anos pq sacanearam no meio do meu processo, mas é uma longa historiaaaa…
    sobre Alex, todo mundo q mora no Cairo diz que é outraaa coisa realmente, eu tenho uma visão mto boa do Egito, mas pode ser pelo fato de que vivi numa cidade bem mais calma e menos tumultuada…lá todo mundo sempre me tratou que nem rainha pq era gringa ehehe

    Responder

  5. egitoebrasil
    Nov 29, 2010 @ 13:46:54

    salam, td bem? Eu acho que talvez não deva ter ficado claro pra vc como que funciona o esquema por lá, ou ir com um egipcio sempre ajuda, mesmo que não fosse do RH, mas algum outro conhecido. Eu tirei visto também de 1 ano quando morei no Egito e saiu na hora, não tive que esperar a repartição pública de Alex era bem limpa e arrumada.
    Mas eu acho que se for comparar com o Brasil, aqui estamos longe de ser perfeitos… simplesmente um visto permanente por aqui leva no mínimo uns seis meses pra ser julgado, se for por casamento então, espera uns 3 meses a polícia aparecer na sua casa, depois dá entrada num monte de papelada caríssima… o do meu marido levou simplesmente 2 anos pra sair. E a PF aqui é lotada, filas gigantescas sem fim, e não passam informação por telefone, se quiser saber algo que vá e fique na fila… então, preferia ficar abarrotada um dia e resolver meu problema, do que esperar dois anos por um visto…
    Acho que todos os lugares tem coisas boas e ruins, mas o Egito na sua bagunça total tem coisas q no fim são mais práticas!

    Responder

    • Andréia Feijó
      Nov 29, 2010 @ 17:03:56

      Com certeza Marina, todos os lugares tem suas vantagem e desvantagens. Mas te digo que meu marido demorou 6 meses para conseguir o visto. Mesmo estando empregado por uma empresa egípcia e mesmo com ajuda dos egípcios… Fazer o que!!!
      Estranho o visto do seu marido demorar tanto… Tenho amigos estrangeiros que foram trabalhar no Brasil e até casaram que conseguiram o visto de residência em pouco tempo!!! Não sei se para arabes é mais difícil ou não. O díficil é conseguir a naturalização, isso sim!!!
      Com certeza Alexandria deve ser mais organizado que no Cairo. Por aqui, todo mundo que conheço enfrentou o que eu enfrentei.
      Logicamente que no Brasil a burocracia também é insuportável, mas ao menos temos filas… Hahahaha
      Um beijão!!!

      Responder

  6. Marlene
    Nov 28, 2010 @ 17:02:05

    Minha colega, poderias ter evitado toda esta dor de cabeca.
    Desse uns 100Le pra um policial que em EXATA 1 HORA tudo estaria pronto!
    Nao sabia nao? heheh
    Ta avisada, da proxima vez, dinheiro na mao do policial rs

    Responder

    • Andréia Feijó
      Nov 28, 2010 @ 18:28:17

      Marlene, confesso que sabia!! Não tive foi coragem! hehehehehe
      mas da próxima, essa não me pega mais!!!!!!

      Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Quantos já passaram por aqui...

  • 336,119 acessos

del.icio.us

The best

RSS A História de uma gata

  • Memorial 19/05/2016
    Tá tudo certo. Resolvido. Jurado e sacramentado. Até que percebo uma leve alteração na respiração ao estacionar o carro e meu coração acelerar no elevador e bater na garganta quando chego na porta. Ela abre. Eu disfarço. Faço uma piada, enquanto minha mente me joga, sem dó, frames de sons, momentos e sensações. Me lembra que voltei a brotar ali .E eu penso n […]
    noreply@blogger.com (Fernanda Copatti)

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 354 outros seguidores

%d bloggers like this: