ISSO DÁ PANO PRA MANGA!!!

Palavra do dia:

Fim: Halas

*********************************************************************************************************************

 
«Dizei às fies que recatem os seus olhares, conservem os seus pudores e não mostrem os seus atractivos, alem dos que (normalmente) aparecem; cubram o colo com os seus véus e não mostrem os seus atractivos, a não ser aos seus esposos,… que não agitem os seus pés, para que não chamem à atenção sobre os seus atractivos ocultos. Ó fiéis, voltai-vos todos, arrependidos, a Deus, a fim de que vos salveis!»
Alcorão Verso 24:31

Hoje resolvi tratar de um assunto um tanto quanto polêmico, principalmente entre as mulheres: Os trajes muçulmanos.

Como bem vocês sabem, nos países islâmicos, as vestes são muito diferentes dos países onde a religião não é uma imposição, mas sim, uma opção. Por aqui predomina o excesso de discrição, principalmente com relação às mulheres muçulmanas mas, mesmo as cristãs se vestem de forma bastante recatada.

Mulheres no dia-a-dia

Dificilmente você verá mulheres usando regatas, saias curtas ou barriguinhas de fora por aqui. Mesmo nos dias mais quentes, onde as temperaturas chegam a 40°C as roupas são fechadas, cobrindo os braços e as pernas das mulheres. Ao contrário do Brasil, que chega a ser até mesmo exagerado, este tipo de comportamento por aqui chega a ser inaceitável.

Eu, como boa brasileira, estou tendo que me acostumar a estas novas mudanças. Não, não!! Não é o que vocês estão pensando aí. Estou me vestindo normalmente, claro que, com maiores cuidados. Na verdade o que ocorre é o seguinte: A palavra “estrangeira” parece estar estampada na minha testa, ao contrário do Rodrigo que volta e meia é confundido com os locais hehehe. Quando saio na rua, todos sabem que não sou muçulmana e por isto pegam mais leve comigo mas, isso não isenta alguns olhares mais recriminatórios, facilmente percebidos. Procuro usar camisetas longas, blusas sem decotes  ou saias curtas, mas me recuso a usar manga longa em dias quentes. Ta loco neh!

Burka

Realmente não sei como elas agüentam. Passam o dia embaixo do sol com aquelas mangas compridas. Sem contar as que usam os trajes totalmente fechados e de cor preta, conhecido como “Burka”, que cobre todo o rosto deixando apenas os olhinhos de fora. Agora pensem no cheirinho agradável no final do dia heim? Super gostosinho… Você sente de longe aquele odor de aca misturado com pele suada e sei lá mais o que. Mas isso é um mal dos egípcios eu acho, porque praticamente se torna geral em ambos os sexos. Para mim isso tem outro nome: “falta de banho.”

burkini

Outro traje interessante é o de banho, o tal do “burquini” criado por uma estilista  libanesa chamada Aheda Zanetti. Segundo ela, as mulheres se privavam da diversão da praia e dos esportes por falta de trajes adequados. Chega a ser divertido ver aquelas meninas usando aquilo (as mais velhas são mais raras de se ver). A foto ao lado diz tudo não é mesmo? Quanta liberdade de movimento heim?? As mães e esposas preferem ir à praia de roupa mesmo. Por vezes você vê uma ou outra entrando vestida no mar de burka ou calças jeans mesmo. Deve ser super agradável aquela roupa molhada grudando na pele.

Os homens obviamente usam calção e camiseta, por vezes, aparecem sem camisa mesmo. Eles dizem que não gostam de mulheres bronzeadas e se expondo de biquínis, mas basta passar uma turistinha refrestelada que os olhares se voltam para ela e de uma forma nada discreta. A justificativa deles é que é “diferente”. Diferente uma ova!!! Eles gostam mesmo da carne… Agora vai a mulher deles usar um shortinho para ver o que acontece!

Aliás, por aqui os homens adoram mexer com a mulher dos outros por assim dizer. Não querem saber se você é casada ou solteira, eles vêm pra cima mesmo. Claro que, conforme eu escrevi em um blog anterior, eles são mais respeitosos do que por aí. Mas as deles, ah essas sim são sagradas. Na verdade elas que se dão muito ao respeito mesmo. Claro que elas tem amigos homens, brincam e se divertem mas, tudo com muito cuidado. Os assuntos são bem pensados e as brincadeiras principalmente, são muito ingênuas. Até mesmo entre elas as conversas são recatadas.

Hijab

Nikab

O véu na cabeça é o mais costumeiro por aqui. Os dois principais tipos são: o Hijab ou Nikab. O primeiro deixa o rosto de descoberto cobrindo apenas os cabelos e por vezes o pescoço. O segundo deixa apenas os olhos de fora. Dificilmente você verá uma muçulmana deixando os cabelos ao vento. Apenas em casa elas são permitidas de andar à vontade. Às vezes, mas apenas em seus locais de trabalho, onde geralmente freqüentam muitos turistas, iremos encontrar algumas mulheres muçulmanas com os cabelos a mostra, mas isso por política do lugar mesmo.

O significado do véu para as mulheres muçulmanas é bastante simples: Ele faz com que elas sejam reconhecidas pelo seu espírito, não pela sua aparência. Então, cumprindo as regras do Alcorão, elas se cobrem para não revelar seus atributos físicos, despertando o desejo dos homens. Apenas se despem para seus maridos. Com o véu, elas se sentem dignas, valorizadas e respeitadas. Por vezes me pergunto se isto é mesmo verdade.

O que acontece, em minha opinião, é que tantos anos de imposição cultural e religiosa acabaram por fazer das mulheres islâmicas seres conformados. Elas simplesmente aceitam as suas condições e aprenderam a conviver com isso de maneira pacífica. Realmente elas não são tão desvalorizadas assim, pelo menos aqui no Egito. Os homens em sua maioria, as respeitam e entendem seu papel, mas mesmo assim, acredito que não é o suficiente para elas. Eu não gostaria de ser reconhecida apenas dentro de meu lar. Gosto de ser ouvida, gosto de poder criticar e gosto de poder me portar de acordo com minhas idéias.

 As mulheres tidas como “revolucionárias” por aqui, são as que se criaram em contato com o mudo ocidental, aquelas que moram na Europa ou nas Américas. Elas defendem os seus costumes muito mais de uma forma política do que como expressão de liberdade. Quando você tem opção de escolher seus caminhos, fica muito mais fácil não é verdade?. Mas me pergunto, por que será que foi preciso elas saírem de seus países para poder se expressar?

Beijão!!!

2 comentários (+add yours?)

  1. Lorena
    Fev 20, 2010 @ 21:40:04

    Dada querida imagino como é pra vc ter uma casinha ai no
    Egito,pq conheçi a casa dos teus pais e se me lembro bem
    era muito sofisticada e com muito conforto.O seu quarto então tinha glamur de acordo com a dona.
    Acredito que pra vc dever um pouco dificil se acostumar com as roupas,pq com certeza eu não iria me acostumar nunca.
    Mas tbém acredito que qdo se esta com quem se ama tudo fica mais facil.
    Dada qto a tua pergunta acima eu acho que país e muito machista,pelo que sei ai a mulher não apita nada.
    Mas me orgulho muito da minha ex aluna,estar muito bem num país tão distante, tenho certeza que vais achar uma casa de acordo com vc.
    Amada beijosssssssssssssss
    tudo de bom pra vc e seu marido.
    Te amo

    Responder

    • Andréia Feijó
      Fev 21, 2010 @ 10:25:13

      Oi Prof!!!
      Muito obrigadinha por escrever.
      Como tu mesmo disse, só com muito amor. Mas a verdade é que por mais difícil que seja, estou aprendendo muito por aqui!
      Quem sabe tu não vem me visitar e eu te mostro tudinho????
      Milhões de beijos!!!
      Love U

      Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Quantos já passaram por aqui...

  • 336,119 acessos

del.icio.us

The best

RSS A História de uma gata

  • Memorial 19/05/2016
    Tá tudo certo. Resolvido. Jurado e sacramentado. Até que percebo uma leve alteração na respiração ao estacionar o carro e meu coração acelerar no elevador e bater na garganta quando chego na porta. Ela abre. Eu disfarço. Faço uma piada, enquanto minha mente me joga, sem dó, frames de sons, momentos e sensações. Me lembra que voltei a brotar ali .E eu penso n […]
    noreply@blogger.com (Fernanda Copatti)

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 354 outros seguidores

%d bloggers like this: