GOSTO NÃO SE DISCUTE!!

 

Palavra do dia:

Copo de vidro: Copea ezes

********************************************************************************************************************* 

Aqui no Egito, os homens possuem um gosto um pouco diferente para roupas e acessórios. A maneira como eles se vestem é bastante estranha para nós brasileiros, assim como os acessórios para carros. Vou tentar explicar um pouquinho como é.    

Camisetinha básica

Por essas bandas de cá, macho que se preza usa muita cor! Isso mesmo!! Cores e estampas diversas é o grito do momento. Eles adoram camisas vermelhas, amarelas e violetas com estampas de ursinhos, cachorrinhos e até mesmo de lacinhos. Simmmmmmm senhor! É tudo muito bonitinho se é que você me entende. Aí o brasileiro machão vai dizer assim: Mas isso é coisa de viado!!! Será? Por aqui não é não. Quanto mais fashion você se vestir mais olhares femininos irá atrair. Acredite! As mocinhas por aqui adoram caras descolados, que se vestem de forma inovadora e arrojados! Hehehehe.    

Bem justinho

As camisas também costumam ser apertadinhas no corpo. Do tipo “Me dá um abraço, por favor!! Mas cuidado para não se  arranhar nas minhas lantejoulas.” São coladinhas, geralmente com o botão aberto aparecendo o peito, cuidadosamente colocadas para dentro das calças que, por sua vez, também são justérrimas.  Acho até que quando precisar comprar calça jeans por aqui vou visitar a sessão masculina, porque as femininas, nem te conto!! Nós mulheres sabemos como é desconfortável calça justa. Mas eles parecem adorar! Quase nem se movimentam lá dentro, mas todos insistem em usar. 

Tudo tem muito brilho. Jaqueta de nylon brilhosa é mato por aqui. Eles adoram!!! Quanto mais chamativo, melhor! Vocês não fazem idéia como é engraçado ver os homens usando (mesmo com 30 graus e muito sol) aqueles casacos fofos, apertadinhos e brilhosinhos. Sem mencionar que grande parte dos modelitos possui golas de pele. Isso é moda meu bem!!!  Vai discutir?? Nem tente!! Eles acham o máximo usar tudo isso. Aliás por aqui, quanto mais badulaque tiver melhor. Isso acontece muito nos carros também.    

Nosso motorista tem um carro azulzinho claro. Aí já diz quase tudo! Todo dia que você entra no carro tem uma novidade. Dia desses ele veio com um tipo de imã da HELLO KITTY para o carro e grudou no painel. Olhei para ele e disse: 

 

- Que isso????
- Ah, eu comprei em uma loja ali no Suez.
- Ahhhh, é para sua filhinha? (ingênua eu)
- Não, não. É para mim mesmo!!!
- Ãh? Não te entendi! Para você?
- Está todo mundo usando no carro agora!
- Mas é da HELLO KITTY!!  (como se isso dissesse tudo!)
- E daí??????
- E daí que é de MENINA!!!!!
- Não é não!!! Só por que é em formato de CORAÇÃO não quer dizer que seja de menina!!!
- Ahammmmmmmmmmmm!!!!!!

 Até hoje está lá e é um constante motivo de piadas para nós.     

Ah! Ah! Ah! stay in the light!

Egípcio também adora luz de neon. Quanto mais ofuscante, melhor! Eles instalam aquelas lâmpadas nos vidros dos carros e saem a desfilar pela cidade. Tem de tudo escrito, mas geralmente envolve ALAH (Deus). Dentro do carro também parece uma “discoteca”. Quando ascende a luz interna, você tem vontade de cantar “Ah! Ah! Ah! Stay in the light”.  Sem falar nos pelegos de ovelha espalhados pelo painel. Um luxo!!!  Eles penduram bichinhos, insetos de borracha, colam adesivos enormes e por fim, colocam capas nos encostos de cabeça. A do nosso motorista é um tecido estampado com caveiras de pirata. Super discreto!!      

Mas voltando ao assunto das roupas, os ternos e roupas sociais também são bem complicados de se entender. Alguns vêm em tecidos brilhosos também. A última moda nas lojas agora parece ser camisa social duas cores. Metade azul e metade vermelha. Se você tiver sorte ainda vem com listras. Super clássico! O terno também é mais apertadinho que o normal e a calça parece ter um caimento um tanto quanto duvidoso. A gravata geralmente está totalmente fora de contexto e os sapatos ou são super hiper modernos (aqui cabe a sua imaginação) ou são extremamente velhos e surrados. Mas também vou te contar, manter sapatos limpos no meio desse deserto é bem complicado!!!     

Por último um ponto que não poderia jamais ser esquecido: os trajes de banho. Eles usam calções de banho tipo bermudas iguaizinhos os do Brasil. Aí você vai pensar… Tá e daí?? Sim, são iguaizinhos aos nossos, mas, queridos amigos, a diferença está na forma de usar… TODOS ACIMA DO UMBIGO!!!! Hahahaha!!! Me desculpem, mas é ridículo!! Você está na piscina e se depara com um cara gordinho usando o calção daquele jeito!!  Eu simplesmente não agüento! Caio na gargalhada! Eles correm com os filhos, sentam nas espreguiçadeiras, entram na piscina e o calção permanece lá, imutável acima do umbigo véio. Até algumas crianças usam dessa forma! Bom, pelo menos eles não usam sunga né? Já pensou como seria?        

Por hoje é só pessoal.        

Grande beijo!!

ISSO DÁ PANO PRA MANGA!!!

Palavra do dia:

Fim: Halas

*********************************************************************************************************************

 
«Dizei às fies que recatem os seus olhares, conservem os seus pudores e não mostrem os seus atractivos, alem dos que (normalmente) aparecem; cubram o colo com os seus véus e não mostrem os seus atractivos, a não ser aos seus esposos,… que não agitem os seus pés, para que não chamem à atenção sobre os seus atractivos ocultos. Ó fiéis, voltai-vos todos, arrependidos, a Deus, a fim de que vos salveis!»
Alcorão Verso 24:31

Hoje resolvi tratar de um assunto um tanto quanto polêmico, principalmente entre as mulheres: Os trajes muçulmanos.

Como bem vocês sabem, nos países islâmicos, as vestes são muito diferentes dos países onde a religião não é uma imposição, mas sim, uma opção. Por aqui predomina o excesso de discrição, principalmente com relação às mulheres muçulmanas mas, mesmo as cristãs se vestem de forma bastante recatada.

Mulheres no dia-a-dia

Dificilmente você verá mulheres usando regatas, saias curtas ou barriguinhas de fora por aqui. Mesmo nos dias mais quentes, onde as temperaturas chegam a 40°C as roupas são fechadas, cobrindo os braços e as pernas das mulheres. Ao contrário do Brasil, que chega a ser até mesmo exagerado, este tipo de comportamento por aqui chega a ser inaceitável.

Eu, como boa brasileira, estou tendo que me acostumar a estas novas mudanças. Não, não!! Não é o que vocês estão pensando aí. Estou me vestindo normalmente, claro que, com maiores cuidados. Na verdade o que ocorre é o seguinte: A palavra “estrangeira” parece estar estampada na minha testa, ao contrário do Rodrigo que volta e meia é confundido com os locais hehehe. Quando saio na rua, todos sabem que não sou muçulmana e por isto pegam mais leve comigo mas, isso não isenta alguns olhares mais recriminatórios, facilmente percebidos. Procuro usar camisetas longas, blusas sem decotes  ou saias curtas, mas me recuso a usar manga longa em dias quentes. Ta loco neh!

Burka

Realmente não sei como elas agüentam. Passam o dia embaixo do sol com aquelas mangas compridas. Sem contar as que usam os trajes totalmente fechados e de cor preta, conhecido como “Burka”, que cobre todo o rosto deixando apenas os olhinhos de fora. Agora pensem no cheirinho agradável no final do dia heim? Super gostosinho… Você sente de longe aquele odor de aca misturado com pele suada e sei lá mais o que. Mas isso é um mal dos egípcios eu acho, porque praticamente se torna geral em ambos os sexos. Para mim isso tem outro nome: “falta de banho.”

burkini

Outro traje interessante é o de banho, o tal do “burquini” criado por uma estilista  libanesa chamada Aheda Zanetti. Segundo ela, as mulheres se privavam da diversão da praia e dos esportes por falta de trajes adequados. Chega a ser divertido ver aquelas meninas usando aquilo (as mais velhas são mais raras de se ver). A foto ao lado diz tudo não é mesmo? Quanta liberdade de movimento heim?? As mães e esposas preferem ir à praia de roupa mesmo. Por vezes você vê uma ou outra entrando vestida no mar de burka ou calças jeans mesmo. Deve ser super agradável aquela roupa molhada grudando na pele.

Os homens obviamente usam calção e camiseta, por vezes, aparecem sem camisa mesmo. Eles dizem que não gostam de mulheres bronzeadas e se expondo de biquínis, mas basta passar uma turistinha refrestelada que os olhares se voltam para ela e de uma forma nada discreta. A justificativa deles é que é “diferente”. Diferente uma ova!!! Eles gostam mesmo da carne… Agora vai a mulher deles usar um shortinho para ver o que acontece!

Aliás, por aqui os homens adoram mexer com a mulher dos outros por assim dizer. Não querem saber se você é casada ou solteira, eles vêm pra cima mesmo. Claro que, conforme eu escrevi em um blog anterior, eles são mais respeitosos do que por aí. Mas as deles, ah essas sim são sagradas. Na verdade elas que se dão muito ao respeito mesmo. Claro que elas tem amigos homens, brincam e se divertem mas, tudo com muito cuidado. Os assuntos são bem pensados e as brincadeiras principalmente, são muito ingênuas. Até mesmo entre elas as conversas são recatadas.

Hijab

Nikab

O véu na cabeça é o mais costumeiro por aqui. Os dois principais tipos são: o Hijab ou Nikab. O primeiro deixa o rosto de descoberto cobrindo apenas os cabelos e por vezes o pescoço. O segundo deixa apenas os olhos de fora. Dificilmente você verá uma muçulmana deixando os cabelos ao vento. Apenas em casa elas são permitidas de andar à vontade. Às vezes, mas apenas em seus locais de trabalho, onde geralmente freqüentam muitos turistas, iremos encontrar algumas mulheres muçulmanas com os cabelos a mostra, mas isso por política do lugar mesmo.

O significado do véu para as mulheres muçulmanas é bastante simples: Ele faz com que elas sejam reconhecidas pelo seu espírito, não pela sua aparência. Então, cumprindo as regras do Alcorão, elas se cobrem para não revelar seus atributos físicos, despertando o desejo dos homens. Apenas se despem para seus maridos. Com o véu, elas se sentem dignas, valorizadas e respeitadas. Por vezes me pergunto se isto é mesmo verdade.

O que acontece, em minha opinião, é que tantos anos de imposição cultural e religiosa acabaram por fazer das mulheres islâmicas seres conformados. Elas simplesmente aceitam as suas condições e aprenderam a conviver com isso de maneira pacífica. Realmente elas não são tão desvalorizadas assim, pelo menos aqui no Egito. Os homens em sua maioria, as respeitam e entendem seu papel, mas mesmo assim, acredito que não é o suficiente para elas. Eu não gostaria de ser reconhecida apenas dentro de meu lar. Gosto de ser ouvida, gosto de poder criticar e gosto de poder me portar de acordo com minhas idéias.

 As mulheres tidas como “revolucionárias” por aqui, são as que se criaram em contato com o mudo ocidental, aquelas que moram na Europa ou nas Américas. Elas defendem os seus costumes muito mais de uma forma política do que como expressão de liberdade. Quando você tem opção de escolher seus caminhos, fica muito mais fácil não é verdade?. Mas me pergunto, por que será que foi preciso elas saírem de seus países para poder se expressar?

Beijão!!!

Quantos já passaram por aqui...

  • 177,965 acessos

del.icio.us

The best

RSS A História de uma gata

  • Trocando em Miúdos 22/04/2014
    ViralDói o corpo O todo. Doem os olhos.Tudo pinga.O ar rasga. Não oxigena.Tudo dói.Não é a cabeça é o que tá lá dentro.No raio-x um não no lugar do coração.E não tem remédioNão tem arde e passaTudo corrói.O peito, a garganta, o narizA fala fanha.Meu silêncio ficou surdo.De repente esse vazio e...Tudo dói.
    noreply@blogger.com (Fernanda Copatti)

Indique o seu endereço de email para subscrever este blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 247 outros seguidores

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 247 outros seguidores

%d bloggers like this: